FOI PRECISO AO HOMEM MUITO TEMPO PARA SE ELEVAR ACIMA DA NATUREZA!

TODA A ARTE É CONDICIONADA PELA SUA ÉPOCA... De Ernst Fischer
















terça-feira, 25 de abril de 2017


VIVA O 25 de ABRIL

1974-2017
 
 
Capitão Salgueiro Maia - 1974
 
O Povo aderiu de imediato à Revolução dos Cravos. 1974
 
 
Cidália Maria Alagoa Carreiras Raposo
"Sempre com Abril"

Foi graças ao  25 de Abril que os Portugueses conquistaram a Liberdade e a Democracia, com a intervenção do Movimentos das Forças Armadas, comandadas pelos Capitães de Abril e o apoio incondicional do Povo.  Derrubada a Ditadura e logo após esse glorioso e histórico dia em que os cravos vermelhos brilharam na mão dos Trabalhadores, do Povo e dos Militares, o MFA e alguns Partidos progressistas, com apoio da CGTIN e dos populares obtiveram importantes conquistas revolucionárias.
José António Martins Raposo - Sempre com o 25 de Abril
Aprovada a Constituição de 1976, considerada uma das mais progressistas do mundo , consagrou como lei fundamental o SNS, A Reforma Agrária, o Poder Local e a Justiça mais democrática. Nacionaliram-se os Bancos, os Transportes, a Água, a Electricidade e a Habitação. Garantiram-se os direitos mais elementares dos Trabalhadores, reforçou-se o Sindicalismo Unitário.
Hoje ao comemorarmos o 25 de Abril de 2017, já pouco resta das conquistas da Revolução de Abril e aos poucos a reacção e as forças conservadoras, detentoras dos meios económicos e de todo o aparelho produtivo, fazem uma luta diária para eliminar tudo o que resta dessas mesmas conquistas. O Capitalismo Selvagem é a sua principal força ideológica, servida em banho maria pelo neoliberalismo, caduco mas sempre contrarevolucionário. A luta de classes aumenta mas há ainda uma grande divisão no seio das forças progressistas. Apenas o Partido Comunista Português, os Verdes e alguns Independentes, lutam árduamente em todas as frentes, para conseguirmos a reposição dos Direitos dos Trabalhadores.
É verdade que o PS conseguiu constituir um governo socialista com a ajuda Parlamentar, do PCP, dos Verdes e do BE , mas não existe um Governo Progressista, existe sim um governo do Partido Socialista que se mantém refém de muitas leis contrárias aos interesses do Povo. Mas o PCP e os Verdes, não desistem, a sua Luta é a Luta do Povo Português.
Esta é uma síntese do actual panorama político português que se assume como parcial, em favor da ideologia marxista-leninista e dos ideais de Abril. POR UMA ALTERNATIVA PATRIÓTICA E DE ESQUERDA!
Castelo de Vide, 25 de Abril de 2017
Martins Raposo
NOTA  I: Quando se deu o 25 de Abril, encontrava-me em Luanda-Angola já há muitos anos. Trabalhava num Banco e pertencia à Comissão de Trabalhadores. Tivemos conhecimento do que se ia passar em Lisboa, algum tempo, antes de 1974, no Grupo de Acção Politica onde militava. De qualquer forma não tínhamos a data precisa e o dia não foi festejado como merecia ter sido feito. Angola ainda era uma Colónia Portuguesa e a Revolução de Abril foi tendo a sua influência de forma mais vagarosa. Mas o MPLA e o Movimento Sindical começou de imediato a movimentar-se organizando-se e reforçando a sua influência. Foi nesses meses escaldantes, cheios de euforia e de luta que fiz parte da nova Direcção do Sindicato dos Bancários de Angola com a extinção da velha e caduca Direcção. Foram tempos de grandes lutas, mas muitos nobres e belos. O 1º de Maio de 1974, foi a maior manifestação dos Trabalhadores e do Povo de Luanda, apesar das muitas nuvens que ainda persistiam no céu. Eram ainda os dias de Esperança, cantados por Agostinho Neto. O Povo Angolano já acreditava numa Angola Livre e Democrática. Assim como eu que também lutei pela descolonização e professava a mesma "Esperança".
Martins Raposo
NOTA II
 
José M. Raposo e Amândio Patacas assistindo à cerimónia em frente ao busto do Capitão Salgueiro Maia, no dia 25 de Abril de 2017
 
O Busto do Capitão Salgueiro Maia, um herói de Abril que nasceu na nobre e digna Vila deCastelo de Vide
As cerimónias em Castelo de Vide, têm vindo a decair em festejos do Dia da "Revolução dos Cravos". Este ano de Eleições Autarcas, foi ligeiramente melhor, pelo menos o habitual discurso mudou. Ouvimos o Sr. Presidente da Assembleia Municipal, Dr. António José Miranda, leu (com boa voz) um lindo Poema do Poeta Libertário, José Ary dos Santos. Viva o 25 de Abril!
Castelo de Vide, 25 de Abril de 2017
Martins Raposo
 



segunda-feira, 24 de abril de 2017


Eleições em França 2017

Realizaram-se ontem dia 23 de Abril, as Eleições Presidenciais Francesas que deram resultados muito desfavoráveis aos interesses dos franceses. O que é triste é vermos de novo o Povo francês que tinha a obrigação de ser um dos mais informados e cultos do mundo,  a exercer tão mal o seu direito de voto, repetindo os mesmos erros de um passado bem recente. Marion Le Pen, representa o pior que existe em França, representante de um Partido da ultradireita e xenófoba, com laços muito fortes ao mundo da finança a tudo o que o Capitalismo tem de mal.


Emanuel Macron, é o representante puro e duro do sistema, neoliberalista, oportunista, ambicioso e exibicionista. É um feroz defensor da austeridade e de uma Europa a duas velocidades, com defende Ângela Merkel.


 O resultado destas eleições são prejudiciais para o futuro da França e para todos os Países do Sul da Europa. Os Franceses renegam mais uma vez a sua história gloriosa sempre que foi defensora da Igualdade, da Fraternidade e da Solidariedade. Os franceses cometeram o mesmo erro dos Americanos que deviam ter vergonha de terem eleito um narcisista mórbido e perigoso esquizofrénico capaz das piores loucuras. Pobre França que filhos tão mal formados e alienados tem.
Estes dois foram escolhidos, a votação deu o 3º. lugar François Filon que representa o Partido Republicano de Direita, também não era grande escolha.
Em 4º. lugar ficou Jean-Luc Ménlenchon que deveria ter sido a escolha dos Franceses, é um homem de esquerda e coerente com os seus ideais o que seria muito bom para os Trabalhadores e o Povo Francês. Como foi dito acima os eleitores continuam desinformados e pouco esclarecidos sobre como se deve escolher o melhor candidato. Não é só pelo Programa, apesar deste ser uma peça importante. Tem também de se conhgecer o seu percurso político, o que não é assim tão difícil. Mas lá como aqui as pessoas vivem alienadas pelos meios de comunicação que estão todos comprometidos com o grande capital que é o que sustenta o sistema. A luta continua muito difícil!
24 de Abril de 2017
Martins Raposo

Castelo de Vide, 24 de Abril de 2017

Martins Raposo


DESFILE DE MODA "TRAÇOS E CORES"










 
 
 
Realizou-se no passado dia 15 de Abril, pelas 16H00, no Hotel Sol e Serra, um deslumbrante Desfile de Moda sobre o tema "TRAÇOS E CORES NKAI" da responsabilidade da estilista Margarida Nkai que contou com os apoios e parcerias da Câmara Municipal de Castelo de Vide, Juntas de Freguesia do Concelho,  RTP-África, GACV, CLDS, Hotel Sol e Serra, Pó de Estrelas e outros.






 Margarida Nkai, nasceu no Soyo, Província do Zaire, em Angola. Aos 6 anos foi morara para Luanda.

No Mundo das Artes, estreia-se nos desenhos, após ter frequentado um Curso de Banda Desenhada na BJAP, Brigada de Jovens Artistas Plásticos.
O Curso desperta a sua curiosidade, passando dos desenhos para a concepção e manufactura de carteiras em tecido africano, onde por intermédio,  da Comissão Nacional da Expo-Angola, viu o seu trabalho na Expo-Xangai d na Expoycosu- Coreia do Sul.Como criadora de moda tem um estilo pessoal em tudo o que confecciona, numa combinação perfeita  com os tecidos e as cores africanas. É a estilista que nos diz - "Todo o trabalho que faço é com muito carinho e sempre disponível para aprender cada vez m

Com o apoio do seu companheiro, João Casimiro Barrigas, dá início ao processo de internacionalização dos seus trabalhos.

Presentemente vive em Castelo de Vide e tem como prioridade a apresentação de uma colecção de vinte das suas peças.

Pretende mostrar ao mundo e em particular em Angola a modernidade e da contemporanidade das raízes africanas, influenciando toda uma geração de pessoas que veem  no seu trabalho toda a beleza africana.

Desempenou o papel de solista e foi coordenadora do Grupo de Percursão. Esteve também no GRP.

Representou Angola em paízes como a Espanha, Brasil, China e a Coreia do Sul, entre outros.

Em silmutâneo, Margarida executa alguns trabalhos por medida com tecidos africanos. Começa assim no âmbito do Estilismo, a confeccionar vestidos que merecem a atenção  do mundo da moda. Incentivada por alguns amigos participa no 1º. Concurso de Estilistas Angolanos, concorrendo com mais 50 Estilistas. Foi uma das 19 apuradas para uma final, da qual foi eleita a vencedora com acesso  directo à Moda Luanda, Benguela e Hula Fashion.

No maior evento realizado em Angola  de Estilistas, apresentou 15 criações ficando entre as 10 melhores coleções selecionadas.
 

Maria do Carmo Fernandes




Castelo de Vide, 16 de Abril de 2017
Algumas fotos das jovens Modelos que muita graça e uma boa postura, desfilaram nos "Traços e Cores Nkai", no Salão Nobre do Hotel Sol e Serra. Muito público, muita simpatia e muitos aplausos para as Jovens, para os Artistas Vera e Arcílio que encantaram com as suas vozes e música. E finalmente para a Presidente da Direcção o Grupo de Amigos que fez a apresentação do belíssimo espectaculo. Todos os intervenientes estão de parabéns e muito em especial a Estilista Margarida Nkai, responsável pelo evento.
 
 



 
 
 
 
 
 
 
 
 



 




 
 
 
 
 
 
 
 
 

 
 

 
 

 
 

 



 

    

 

 

quarta-feira, 1 de março de 2017


SANDRO BOTTICELLI - PINTOR

Sandro Botticelli, nasceu no dia 1 de Março de 1445 e faleceu no dia 17 de Maio de 1510. Filho de um curtidor de peles. Na adolescência trabalhou na casa de um ourives, possivelmente, na oficina de Filipo Lippi, a quem teria ajudado nas decorações da Catedral de Prata. Protegido dos Médici, para os quais executou preciosos registros da pintura de cunho mitológico, foi bem relacionado no círculo florentino, trabalhando também para o Vaticano, produzindo afrescos para a Capela Sistina.Botticelli foi sepultado na Igreja de Todos-os-Santos, para a qual pintara, trinta anos antes, a Êxtase de Santo Agostinho.

Se a tal me fosse possível, teria dividido a minha vida em dois períodos da Humanidade. A primeira fase, da Juventude até aos 50 Anos, escolhia o Renascimento, desde que pudesse, mesmo como músico medíocre, visitar a Espanha, a Itália e a França. A infância (a primeira), e a velhice poderia ser no Sec. XX e XXI. A minha paixão pelos famosos da Renascença, não fica apenas pela Pintura. Quando visitei Florença pela primeira vez, comprei duas cópias de Botticelli, a Primavera e o Nascimento de Vénus que ainda hoje temos connosco.
Gostamos muito deste Pintor e muito orgulho teríamos se conseguíssemos ter um dos seus originais que na verdade devem estar nos melhores museus do Mundo.
Castelo de Vide, 01 de Março de 2017
Martins Raposo

 

 


Frédéric François Chopin, Nasceu no dia 01 de Março de 1810, em Zelazowa, Polónia. Foi um pianista polonês-francês radicado na França e compositor para piano da era romântica. É amplamente conhecido como um dos maiores compositores para piano e um dos pianistas mais importantes da história.Sua técnica refinada e sua elaboração harmônica vêm sendo comparadas historicamente com as de outros grandes compositores, como Mozart e Beethoven, assim como sua duradoura influência na música até os dias de hoje.
O dia 01 de Março,tem sido através dos tempos,um belo dia para os Fanosos em variadas artes, como é o caso deste Compositor que me tem acompanhado há muito tempo.

Frédéric Chopin - Prelude in E-Minor (op.28 no. 4)


segunda-feira, 29 de agosto de 2016

As Ilhas das Cagarras, também conhecidas por Selvagens!

Este minúsculo sub-arquipélago, tem uma área de 273 Hectares e fica a 250 Kilómetros do Funchal e a 165Kms das Canárias, foram descobertas no ano de 1394 e batizadas alguns anos depois pelo português Diogo Gomes Sintra. Ao longo dos anos, teve vários donos, cada um com o seu interesse particular. Em 1971, o Governo português decidiu comprar as ditas Ilhas que para além de servirem de nidificação das Cagarras, nada mais servem para ninguém. Possuem apenas um casinhoto onde dois guardas da chamada reserva natural, residem e permanecem em estilo de campanha, vivendo como eremitas numa área assolada por ventos e tempestades e sabe Deus em que condições. Dois eremitas forçados a viver uma vida de eterna solidão.

Pois este aglomerado  de rochas e duros pedregulhos, já foram bafejadas pela sorte(?) de terem sido visitadas depois do 25 de Abril, pelos Presidentes da República; Mário Soares, Jorge Sampaio, Cavaco e Silva e agora pelo "andarilho saltitão" Sr. Comentador, perdão Sr. Presidente Marcelo, que segundo alguma Imprensa, andou todo o dia esbaforido a tirar selfies com as Cagarras que são muito lestas no andar e sempre prontas para voar.
 

Estas Ilhas, apesar do seu fraco préstimo, já conseguiram  ser mais visitadas pelos Senhores Presidentes, que a maioria dos municípios portugueses, alguns dos quais vivem em completo abandono, sem um mísero olhar dos ditos cujos e as suas populações sofrem de mais isolamento,  que os infelizes guardas das cagarras. Têm ao longo der séculos sido ignoradas e desprezadas pelos PRs. e pelos Governantes.
CV- 29.08.2016
Martins Raposo

terça-feira, 23 de agosto de 2016

RESPOSTA A UM ALEMÃO ZANGADO
Um Alemão, aparentemente bem informado (?) editou um Vídeo, mostrando-se indignado com os radicais islamitas, que têm aterrorizado e assassinado muitos cidadãos desta Europa, em resposta à guerra que lhes têm feito no Iraque e na Síria. Sou totalmente contra os crimes que os radicais têm cometido que considero actos de verdadeiro terrorismo. Mas por outro lado, lembro-me de Brecht e de Bertrand Russel que foram paladinos da Paz entre os Povos, cada um à sua maneira e geralmente, estou de acordo com as suas ideias. Aqui fica pois, um comentário que provavelmente só eu que o li na sua totalidade. Não importa!
Este Alemão fala sobre uma perspetiva pessoal, mas esquece muita coisa. Esquece que o seu País a Alemanha é um dos principais cúmplices de toda esta tragédia, na qual os Estados Unidos têm agido como os principais culpados, tendo sido os criadores dos Talibã. Bin Laden foi apoiado e recebeu armamento e dinheiro para combater os Soviéticos que ocupavam indevidamente o país Afegã. Já antes tinha estado no Vietname e ... os Alemães caladinhos. No Iraque foi o que toda a gente sabe, mais uma vez os Estados Unidos fizeram uma guerra injusta, os ingleses ajudaram (até Portugal) e a Alemanha nada disse. O estado islamita radical, fomentou as suas primeiras guerras, com armas vendidas pelos Americanos, primeiro nas chamadas "Primaveras Árabes" e depois na Síria. O Governo da Síria pode nem ser o melhor para o seu Povo, mas a América não tem o mínimo de moral para ser o Supremo Juiz  que impõe a sua democracia ('). Até agora, ainda não vi uma única medida da Alemanha para ajudar os Países  a resolveram os seus assuntos sem guerra e sem a agressão bélica imposta pelos Estados Unidos. Os Alemães têm muita culpa no cartório ao longo dos anos, não são todos culpados, mas Hitler chegou a ter o apoio da maioria do seu Povo, nenhum alemão se conseguiu impor contra o maior criminoso da história da Humanidade, Que todo este meu arrazoado que é muito pessoal e portanto perfeitamente discutível , não leve ninguém a pensar que sou a favor do Islamismo Radical e fundamentalista (sou completamente contra qualquer tipo de fundamentalismo), não quero dizer que estou contra este Alemão, mas continuo a pensar que este e muitas outras pessoas estão erradas, ao tentar culpar esta situação só a uma das partes. Pessoalmente penso que todas os conflitos se devem resolver a nível diplomático. A Síria era uma ameaça para a Europa? Bom vamos estudar a maneira de ajudar o seu Povo, sem guerras, sem agressões, talvez até seja só uma problema económico, ou um conflito político interno que se possa resolver. Vamos ajudar os Povos que estão em crise, sem estar a Bombardeá-los, por que no fundo quem morre mais são os civis, novos, velhos, mulheres e crianças. Vamos ajudá-los com todos os meios menos com os bombardeiros e os tanques. Talvez assim evitemos o êxodo que se verifica, não só na Síria, mas também nos Curdos, na Líbia, na Palestina. A ONU foi  criada, não para fazer a guerra (isso é com a maldita NATO), deve ajudar para ajudar os Povos a viver em Paz. è evidente que ultimamente ( e noutros tempos), não é só a América, ela é a mais agressiva, digamos que ganha imenso com as suas fábricas de  material bélico, mas há outros países como a Rússia do senhor putin, a Inglaterra, a Alemanha, a França, a Turquia, Arábia Saudita, Irão, etc. que ou são cúmplices ou são também intervenientes, a fazer a guerra aos Povos de Países que na maior parte das vezes, apenas desejam viver em Paz, com Justiça Social e melhor distribuição da riqueza.
Compreendo perfeitamente que muita e muita gente não estará de acordo com este ponto de vista. Para todos esses, basta ler as primeiras linhas e limpar imediatamente todo o resto, que não passa de um blá, blá repetitivo. Mas como dizia o Cavalo do Alexandre O'Neil - Sim vocês podem me montar, mas não podem por a pensar do mesmo modo. E tenho dito, por hoje.
23 de Agosto de 2016, algures entre a montanha e o mar.
J. Martins Raposo

domingo, 21 de agosto de 2016

O Maquiavel Português
O nosso pequeno maquiavel, chama-se Paulo Portas, pequenino mas muito esperto, tarimbeiro na política, acumulando anos e anos as funções de Ministro com lugares administrativos em várias empresas, públicas e privadas, misturando política com grandes negócios que o tem favorecido e ao seu partido de ultra direita, o CDS. Fugindo à Justiça ao abrigo dos imputáveis lugares no Governo e no Parlamento ao longo dos muitos anos.

É um político da extrema direita, conservador, populista reacionário e capaz dos mais execrandos contorcionismos para alcançar os seus objetivos pessoais, não se importando nada em renegar aquilo que defendeu ontem se com isso conseguir embolsar mais uns milhões de euros.  Foi o caso da CEE que se disse contrário aos interesses do País, para hoje se arvorar no mais acérrimo defensor da troika e da austeridade para o Povo.

Em tempos foi um inimigo pertinaz do MPLA e ainda ontem foi beijar os pés do  velho Eduardo dos Santos que meio tonto e cego não deu conta do verme que o bajulou, aliás o CDS fez-se representar, ao mais alto nível, assim como o PSD e o PS. E todos se ajoelharam aos pés do Presidente Vitalício que parte para mais um mandato do qual já perdeu a conta.

Zédu manda em Angola e o seu Povo é que sabe os porquês, até aqui nada contra, mas o que revolta é que todos os Partidos enunciados, foram e são contra o Governo do MPLA. O resto é pura farsa, escondendo interesses políticos e no caso de Portas, interesses puramente pessoais, Mário Soares (e seu querido João), Sá Carneiro e Freitas do Amaral. devem estar rangendo os dentes, sobre as acções indecorosas destes farsantes.

O PCP sempre esteve e está solidário com o MPLA e como tal fez-se representar sem

alarde e com todo o respeito e dignidade. Aliás mesmo que Gerónimo de Sousa o distinto Secretário do meu Partido, poderia sem qualquer problema  ter estado nesta cerimónia, sabendo todavia que a Imprensa do nosso País, como é habitual. nem uma linha escreveria sobre a sua presença.

O Bloquê, não se fez representar, mostrando coerentemente o seu feroz radicalismo contra o MPLA. Ai, se Catarina, menina e moça azougada, se lembrasse de trocar as voltas e aparecesse em Luanda, aí sim, teríamos mais uma grande entrevista, e todo o Luandense ficaria a conhecer as historiazinhas da vida desta verdadeira artista.

É claro que o Paulinho das Feiras, teria todo o cuidado em obscurecer qualquer outro político que quisesse evidenciar-se, ele é o Maior pequeno em tudo, que ninguém se atreva. Estou em Luanda como muito orgulho e presto a minha vassalagem a todos os Governantes de Angola. Agora, vamos lá aos negócios! Sabem que eu sou Administrador de uma Empresa Mexicana de Exploração (?) petrolífera? Bem se quiserem um bom Conselheiro nessa e noutras áreas, já sabem aqui o Paulinho está sempre pronto, as Luvas podem ser em Dólares. Na Marinha também não tenho segredos, precisam de alguns Submarinos, Aviões, Helicópteros, pentes, sabonetes, e balões? O Paulinho sabe tudo e sou um grande amigo do Zédu.
São Martinho do Porto, Agosto de 2016
Martins Raposo
PS: O Paulinho das Feiras ainda vai ser Presidente da República de um qualquer País.

 
NUNCA TIVE ÍDOLOS?Tenho quase a certeza de nunca ter tido ídolos, a não ser na juventude, ter colecionado cromos de Artistas de Cinema de que hoje não me lembro de parte dos nomes. Confesso que já tenho deslizes na linguagem ao distinguir certos compositores e intérpretes de música, e, a palavra "ídolos" pode ter surgido em alguns casos. Na verdade tanto na música, como em qualquer das outras artes, tenho gostos generalistas e muito ecléticos, adorando o seu trabalho, o estilo e o engenho de cada um. De resto, nada mais, nem filósofos, nem escritores e poetas, nem compositores ou intérpretes, nada. Dos políticos e de outras personagens históricas, nenhum me seduz a tal ponto.



Já o mesmo não posso dizer, sobre as minhas referências que são variadas e em todas as áreas da Cultura, do Conhecimento Humano e da Política em geral. Alguns desses casos já os divulguei em crónicas anteriores.
Vem tudo isto a propósito das Homenagens que em determinados países e muito em particular em Cuba, estão acontecendo sobre o 90º. Aniversário de Fidel de Castro. Ele é um dos políticos que tenho acompanhado desde libertou o seu País da Ditadura de Fulgêncio Batista. A sua vida é uma verdadeira odisseia que o seu Povo acompanhou e apoiou desde a sua luta de guerrilheiro até hoje.

Merece que os jovens de Hoje, estudem a sua história e do seu Povo que com toda a certeza vai perdurar para todo o sempre. Não quero, me devo fazer comparações e qualquer crítica à sua governação eu deixo para os profissionais do ofício.



No meu modesto entender das coisas do mundo, Fidel e o seu Povo enfrentaram todo o tipo de acções de guerra e confrontação política agressiva. A seu lado, está a maior potência militar com os meios mais sofisticados em armamento e poder económico do mundo. Os Governos dos Estados Unidos, sejam os republicados ou os ditos "democratas", todos têm empregue todos os meios para destruir o único País Socialista das Américas, Foi no Governo de Kennedy que os Americanos invadiram Cuba na Baía dos Porcos sem qualquer sucesso e com perdas consideráveis.

O Presidente Obama (de quem muita gente foi enganada), conseguiu, não sem muita dificuldade, avançar pequeníssimos passos de aproximação, mas também será rapidamente esquecido, pela sua falta de coragem e vontade política, vai-se embora com a promessa por cumprir de abandonar o tristemente campo de concentração de Guantánamo que com uma prepotência que se sobrepões a todas as vontades, os Estados Unidos mantêm em solo Cubano. Uma vergonha para as Nações Unidas e para o Mundo que incompreensivelmente se calam contra mais esta atitude agressiva dos USA.

O Povo Cubano tem apoiado massivamente os seus governantes, nesta luta de resistência e mais cedo ou mais tarde, também esta justa reivindicação será atendida. Fidel esteve sempre na frente dessa luta, primeiro pela libertação e democratização  e depois pela longa luta contra o Imperialismo Americano que continua a manter o bloqueio económico.

Por tudo isto a minha inteira solidariedade com o Povo Cubano e a minha singela homenagem a essa grande figura, já histórica, chamada FIDEL DE CASTRO. Hasta Siempre Camarada.

São Martinho do Porto, Agosto de 2016

Martins Raposo

NOTA À MARGEM: Tenho todo o direito de humanamente estar errado, mas quase tenho a certeza, de que se Fidel de Castro, tivesse sido o Presidente da URSS, o Povo Russo nunca teria abandonado o Socialismo .

 

 





 

quinta-feira, 30 de junho de 2016

 COMISSÃO CONCELHIA DE CASTELO DE VIDE DO PCP
 A Comissão Concelhia, eleita na 4ª. Assembleia de Organização Concelhia, no dia 29 de Novembro, na sua primeira Reunião de 06 de Janeiro, decidiu entre outros assunto importantes, proceder à elaboração de um Boletim de Informação, cujas linhas gerais vêm enunciados na Edição nº. 1 de Março/Abril, que se afirma como sendo um olhar (da CC), crítico e justo do panorama Político, Social e Económico do nosso Concelho. Todos os membros da CC podem colaborar e participar, ficando um pequeno grupo de trabalho com a responsabilidade da composição e distribuição.
 
Este foi primeiro BI que se convencionou com sendo o nº. 0, por se considerar uma experiência que poderia ter ficado assim mesmo e tentar uma outra forma mais aplicada e diferente. Não foi essa opinião dos Camaradas que acharam que se deveria avançar, para já, no formato escolhido e assim nasceu o número seguinte que publicaremos no mensagem seguinte.
Nota: A publicação neste Blogue deste Boletim, advém de vontade pessoal e como o mesmo já foi amplamente divulgado, julgamos não infligir qualquer norma. O que se pretende complementar o trabalho de arquivo.
CV- Martins Raposo
 


quinta-feira, 30 de abril de 2015

                                            MIA COUTO
 
O escritor Moçambicano, nascido no ano de 1955, é já um nome cimeiro das letras a nível mundial que para além de romancista, escreve  também poesia e crónicas diversas.
Na sua juventude e incentivado pelos pais inscreveu-se em  medicina tendo abandonado a Universidade para se dedicar ao jornalismo. Foi durante algum tempo o Director da Revista "Tempo" e trabalhou também na Revista "Notícias".
Terra Sonâmbula foi o seu primeiro romance escrito em 1992 que teve um sucesso imediato, tendo-lhe sido atribuído o Prémio Nacional da Ficção Moçambicana. Varanda do Frangipani, O Último Voo do Flamingo, O Outro pé da Sereia, A Confissão da Leoa e  Venenos de Deus, Remédios do Diabo, são entre outros alguns dos seus melhores romances.
É precisamente sobre esta última obra que acabei de ler que quero deixar aqui uma pequena síntese da trama deste belo romance que começa com um jovem que se inscreve como cooperante na área da medicina, para trabalhar em Moçambique. Esta sua decisão prende-se com o seu encontro num Congresso de Medicina, com uma belíssima mulher por quem se apaixonou de imediato.
Ele vai até Vila Cacimba e procura junto dos pais pelo paradeiro de Deolinda a mulata feiticeira que o tinha deslumbrado em Lisboa. Bartolomeu o Pai, está muito doente e é a Mãe D. Munda que manter acesa a chama familiar que sofre com a ausência da filha a estagiar em parte incerta.

Sidónio Rosa, assim se chama a nossa personagem principal, é adoptado pelas gentes simples desta pequena povoação, onde ainda muitos vivem das recordações do antigamente, quando os colonos ainda mandavam. Para eles o Dr. Sidonho era muito bem vindo numa altura em que grassava uma doença misteriosa e mortal que fatalmente desmembrava as famílias.
Os mais velhos, a começar por Bartolomeu contavam-lhe as suas histórias algumas das quais eles próprios tinha vivido. O velho falava-lhe de um tempo em que tinha sido mecânico do Infante D. Henrique, como tinha viajado pelo mundo inteiro o e dos portos em que tinha conquistado muitas mulheres. As suas recordações nunca mais acabavam e o médico ouvi-a com paciência e curiosidade.
O tempo vai passando e Deolinda que a princípio ainda ia escrevendo, falando dos seus estudos e adiando com mais estágios, por fim já não dá notícias, não se sabe onde está, nem tão pouco se está viva.
Mas as histórias continuam na voz do velho Bartolomeu que tem como inimigo principal o Administrador da pequena Vila. Este por sua vez acusa-o de ser um mentiroso, devolvendo as acusações como tendo sido o verdadeiro causador do desaparecimento de Deolinda.
São acusações muito graves que implica actos de violência sexual praticados pelo próprio pai, ou como este diz, ter sido o Administrador. No meio desta confusão as duas mulheres, D. Munda e D. Esposinha dão as suas versões como a verdade de factos passados entre as duas famílias.
O mistério vai-se adiantando com o autor a praticar uma escrita envolta em brumas e acontecimentos de uma magia africana que faz parte da cultura africana, com situações que ultrapassam a realidade, em volta de um nevoeiro apocalíptico que serve ao mesmo tempo para o leitor se aperceber de algumas verdades que as personagens vão deixando antever como um fim trágico e cheio de aparentes contradições.
Afinal Deolinda não era filha do casal dos Sozinhos. Ela era a irmã mais nova de D.Munda mas que estes quando regressaram à Vila trouxeram a criança como sendo sua filha.
Já no final, desvenda-se que a jovem tinha morrido da doença da Sida e tinha sido enterrada num cemitério que tinha sido utilizado para enterrar os estrangeiros. Algumas vozes acusam-na de ter infectado o presumível pai que está também às portas da morte.
O choque foi enorme para o médico (que também não é ainda médico) que resolve abandonar a Vila. D. Munda no final tenta incarnar o corpo da Jovem e assim envolver Sidónio Rosa na sua paixão existencial.

Depois de visitar "o cemitério dos alemães" acompanhado de D. Munda ele vive uma experiência entre a realidade e o sonho que o envolve no habitual nevoeiro cerca a pequena povoação e é nesse denso nevoeiro que sabe que o velho Bartolomeu morreu e é enterrado num pequeno barco com a inscrição de Infante D. Henrique e que sua casa desaparece.
D. Munda acompanha o Médico à Camioneta que o levará para a capital e entre lágrimas e suspiros se despedem para sempre de forma dramática. Sidónio chora de magas e D. Munda diz-lhe - "Chore no meu peito, é a campa de Deolinda"
O médico sai de Vila Cacimba alucinado por fantasmas e pelo perfume da flor que se chama "beijo da mulata".É com este final, assim termina  este belo romance de Mia Couto, que aconselho a todos os meus amigos a lerem com a devida atenção.
CV. 30.04.2015
Martins Raposo