FOI PRECISO AO HOMEM MUITO TEMPO PARA SE ELEVAR ACIMA DA NATUREZA!

TODA A ARTE É CONDICIONADA PELA SUA ÉPOCA... De Ernst Fischer
















segunda-feira, 24 de setembro de 2018



O FLUVIÁRIO DE MORA

O Fluviário de Mora é um aquário público dedicado aos ecossistemas de água doce, privilegiando o conhecimento da sua diversidade, importância e relação com a humanidade. Foi inaugurado a 21 de Março de 2007 e ao longo da visita ficará a conhecer algumas das espécies dulciaquícolas de Portugal da nascente até à foz, outras que ocorrem na Península Ibérica, e também da bacia hidrográfica do rio Amazonas e dos grandes lagos africanos do Vale do Rift.
A concretização do Fluviário de Mora visou a criação de um aquário público dedicado aos ecossistemas de água doce. A sua natureza científica, cultural e de lazer, para além de recriar o universo aquático, consolida uma vertente educativa e ambiental. Ao longo da visita ficará a conhecer mais de 600 exemplares de 69 espécies que habitam os rios de Portugal.In.: Folheto da CMM

segunda-feira, 10 de setembro de 2018


A SUÉCIA DO SEC. XXI

 


Sempre tive um afecto especial pelas gentes do Sul da Europa e julgo até que possuo algumas características genuínas que se identificam com os Povos do Sul. Mas em princípio não tenho qualquer preconceito em relação a todos os outros Povos, sejam do Norte, do Leste ou do Oeste.
Vem isto a propósito da avalanche de comentadores que ultimamente veem insistindo na ideia de que a direita radical e xenófoba vem conseguindo vitórias consecutivas em todas as eleições recentes em vários países o que de certo modo apresenta uma perspectiva que só tem favorecido os referidos Partidos.
 
No caso das Eleições na Suécia, os tais comentadores da desgraça, chegaram a cozinhar sondagens com o Partido dos Democratas(?) Suecos iriam conseguir o 2º. lugar com uma percentagem que alguns avançavam em mais de 20%.
Hoje já sabemos os resultados finais que foram os seguintes: O bloco governamental de esquerda a conseguir 144 lugares no parlamento, a Aliança à direita 143 e os Democratas da Suécia a conseguirem, para já, 62 lugares:
Sociais Democratas: 28.4%; Moderados: 19.8%; Democratas da Suécia: 17.6%; Partido do Centro: 8.6%; Partido da Esquerda: 7.9%; Democratas Cristãos: 6.4%; Partido Liberal: 5.5%; Partido dos Verdes: 4.3%.
A situação é de facto grave, mas os ditos Comentadores, "Velhos do Restelo", parece que gostavam que os resultados fossem ainda piores para o bom povo da Suécia. É evidente que o mundo parece regredir e que as Democracias parecem doentes e com dificuldade em fortalecer os seus ideais.
A Suécia era nos meus tempos da Juventude, um dos países do Norte mais respeitados e admirados pela Política Económica e Social implantada por Olof Palme, um dos Chefes de Governo mais progressistas do mundo dito Ocidental. A Suécia era o país dos sonhos realizados por um povo unido em torno do seu líder.
Os inimigos de Olof Palme são os mesmos que hoje votam cegamente na Ultra Direita e conseguiram num acto de traição sem limites que alguém assassina-se o Primeiro Ministro.
Homens como Olof Palme não nascem todos os dias. Eles são como os génios na arte e nas ciências, por vezes passam-se séculos para apareça um homem com a personalidade, o caracter e a coragem de lutar por um mundo melhor.
E foi assim que os sucessivos Governos após a sua morte começaram a renegar os princípios que deram a grandeza a esse grande país da Escandinávia. Os desvios do Partido Social Democrata, inclinaram-se cada vez mais para um liberalismo radical, favorecendo o capitalismo em detrimento da democracia e das políticas sociais que foram pouco a pouco desaparecendo, até chegar aos dias de hoje em que as populações se  sentem cada vez mais indefesas e com os direitos adquiridos em perda total.
É nesta altura que aparecem os comentaristas avoengas das desgraças, apontado em várias direcções, mas escondendo a verdade com montes de mentiras.
Toda a gente sabe que o problema principal não está no problema dos refugiados que foram obrigados a fugir dos países de origem, mas sim no modo estranho de fazer política à revelia dos interesses das populações, no qual o capitalismo loucamente desenfreado obriga os Governos a praticar um política de submissão, seja ao Euro, seja ao Dóllar, castigando os seus próprios povos. O "PROBLEMA" não vem dos Refugiados, o Problema está nas escolhas de um Liberalismo em declarada falência política e social. Está provado que o Liberalismo caduco, falho de ideias progressistas e enredado nos compromissos com o Capitalismo Selvagem, praticam uma política suicida, castigando os trabalhadores e a sociedade em geral.  Este é o verdadeiro problema que se coloca na Suécia e em muitos outros países do mundo.
Castelo de Vide, 10 de Setembro de 2018
Martins Raposo

quinta-feira, 6 de setembro de 2018


O LIVRO DO MÊS

A HORA MÁGICA
A história deste conta-se em breves linhas e lê-se com muito agrado embora o tema seja por vezes muito dramático sem contudo cair na pieguice agri-doce que muitos dos novos escritores exageram, tornando a sua escrita enfadonha e por vezes demasiado violenta. A Hora Mágica começa com o aparecimento repentino de uma criança, em cima de uma árvore abraçada a uma pequena loba, perto da aldeia.  A Polícia sob o comando de uma jovem forte e corajosa mas sem qualquer experiência para enfrentar este caso insólito.
A criança não tinha mais do que cinco a seis anos, estava andrajosamente vestida, suja de lama e uma atitude felina e selvagem, parecia não estar habituada a viver entre os humanos. Depois de ter sido controlada, verificaram que a criança não era da aldeia e não sabia falar, todos os seus gestos e atitudes revelavam ausência completa de conhecimentos de civilização.
Na pequena cidade, ninguém estava em condições de resolver um problema desta natureza, tão complexo e tão difícil. Uma coisa parecia certa a menina tinha vindo da floresta e tudo indicava ter ali vivido isolada de qualquer convívio humano. Os serviços sociais incipientes e com falta de pessoal especializado e Polícia formada por três  elementos incluindo a Chefe. O Hospital também não possuia meios para se responsabilizar de cuidar da criança.
A Polícia por decisão da jovem comandante, acabou por tomar conta deste caso inesperado e a primeira medida foi tentar saber por todos os meios  se havia alguém que se identificasse como familiar da criança. Entretanto e depois de várias peripécias por parte da comunicação social, sempre desejosa de empolar e dramatizar os factos, acabou por ser ainda mais prejudicial a todo o processo.
Entretanto a corajosa Ellie, foi-se envolvendo afectivamente com a criança, e na ausência de qualquer parente, tomou-a seu cargo, levando-a para sua casa. Foi quase em simultâneo com o caso que envolveu a irmã Júlia uma psiquiatra de grande valor e conhecimento arrastada ignobilmente por um processo judicial que pôs em causa o seu dedicado profissionalismo.
Foi neste momento terrível na vida de Júlia alterando duramente o seu percurso como médica e especialista que sua irmã lhe telefonou a pedir ajuda para resolver o problema da fala e das atitudes semi-selvagens da pequena a quem foi dado o nome de Alice.
Podemos afirmar que foi amor à primeira vista, Júlia assim que viu aquele pequenino ser, terrivelmente assustada e sem conseguir adaptar-se ao meio, apesar de rodeada por pessoas que a tentavam conquistar, decidiu enfrentar corajosamente este desafio que se colocava a si como especialista e como ser humano. Era um desafio de grande responsabilidade, no plano humano e no plano profissional, visto que estava relacionado com a sua especialidade de médica e psiquiatra.
O resultado final deve-se não só à Dra. Júlia, mas também a sua Irmã, Hellie e à sua equipa na Esquadra, ao Dr. Max que conseguiram com muito empenho, muito carinho e muito amor, humanizar a frágil criança e descobrir a sua inteligência e a facilidade em aprender a falar e a conviver com as pessoas.
Júlia e a irmã Hellie em conjunto com outras personagens que dão força e apoio para resolução positiva da pequena Alice, a que no final o Pai biológico da criança acaba por aceitar que esta fique junto de Júlia, reconhecendo que a sua filha não tinha qualquer laço filial não reconhecendo como Pai e escolhendo sem qualquer dúvida o amor maior que a ligava à nova Família e que sabia ser correspondida de igual forma.
É assim que termina A Hora Mágica que o autor deste simples texto, não sabe bem quando começa, como um acto de grande entrega intensa a um verdadeiro amor entre a jovem Júlia e a pequenina Alice.
Este foi de facto o grande livro que li no mês de Agosto.
"A Hora Mágica" foi escrito pela escritora americana, Kristin Hannan que já tem uma obra considerável e aceite como uma romancista de grande mérito. Kristin nasceu em 25 de Setembro de 1960, na Califórnia, na cidade de Garden Grove, tendo estudado em Washington  onde se licenciou em direito.
Hoje a escritora tem 18 Livros editados no nosso País, entre os quais se registam "O Caminho para Casa"; "O Rouxinol"; "As Cores da Vida" e "Amigas para Sempre". A impressão positiva que resultou na leitura deste livro, leva-me a crer que voltarei a procurar uma destas obras que julgo não me vai decpcionar.
Castelo de Vide, 03 de Setembro de 2018
Martins Raposo
 
 

segunda-feira, 3 de setembro de 2018

 
A NOSSA TERRA
"CASTELO DE VIDE

Esta é a nossa Terra, Castelo de Vide é o seu nome e se me atrevo a chamar-lhe nossa é porque aqui nasceram os meus ancestrais, pelo lado paterno os Raposos e Mirandas, pelo lado materno os Martins e os Carrilhos.
Nenhum Homem é Estrangeiro é o título de um livro de Joseph North de que gostei particularmente. Trata-se de um livro autobiográfico com uma certa filosofia de civismo e de humanismo. Vem isto a propósito de ter conhecido muitas terras e todas em que vivi, nunca me senti como "estrangeiro", fui sempre tratado como se a elas pertencesse, com respeito e dignidade, A todas por igual dei o melhor que podia e sabia. Mas a nossa Terra será sempre aquela onde temos as nossas raízes, onde bebemos o leite materno e recebemos os carinhos  e os afectos dos nossos Pais e dos Familiares.
Depois de uma prolongada ausência, eis que regresso ao lugar primeiro, por opção e por uma série de factores que favoreceram esta decisão. Todos aqueles que por motivos vários se ausentaram da Terra onde nasceram. terão decerto sonhado com um regresso ao solo natal. Ninguém se afasta do lugar onde nasceu apenas por vontade própria, neste particular todos acalentamos os mesmos sonhos.
Com as honrosas exceções da natureza humana, ninguém (emigra) vai para uma terra estranha com alegria e conforto. Tantos são os que foram encontrar um mundo adverso e cruel, tantos são os que sofreram e continuam muitos a sofrer vicissitudes várias, doenças e desilusões ao longo da vida. No princípio todos desejam voltar, só que a vida nem sempre corre a nosso favor e se alguns afortunados conseguem um regresso condigno, muitos mais são aqueles que não têm essa sorte.
Posso por isso mesmo considerar-me um privilegiado, a quém a sorte bafejou de acordo com os desejos que sempre nortearam os meus sentimentos mais íntimos, sem contudo esquecer  a importância real  de factores que ajudaram a concretizar esta decisão. Sem querer alongar-me muito, faço referência aos principais:
- Em primeiro lugar a vontade expressa pela Cidália com  quem estou casado há mais de 30 Anos e que desde que começamos a vir juntos de visita a  Castelo de Vide, logo se apaixonou por esta terra maravilhosa.
- Em segundo lugar, foi o facto dos meus Pais, viverem aqui e ser chegada a hora de os ajudar a resolver alguns problemas de saúde, assim como a Mãe da Cidália, D. Guilhermina;  em terceiro lugar também contribuiu o facto da maior parte da minha família viver neste Concelho..
O nosso regresso deu-se em definitivo em Setembro de 2000, embora já tivéssemos começado os preparativos em 1997, vendendo o Apartamento que tínhamos em Sesimbra/Santana, comprando o terreno onde construímos a nossa casinha.

Em Sesimbra vivemos 13 anos, muito felizes. Sesimbra é também uma terra muito bonita, plantada à beira-mar, com um magnífico porto de pesca e uma praia de grande extensão. Ganhámos aqui muitos amigos e duas afilhadas, uma de baptizado e outra de casamento.
Foram também, a nível pessoal os melhores anos em termos profissionais, tendo os meus esforços e sacrifícios sido contemplados novamente, depois dos primeiros anos, na

Agência do BPSM no Couço, fui prejudicado profissionalmente, devido à facciosidade das chefias que apesar de nunca ter faltado aos deveres que me competiam como empregado  não viam com bons olhos os meus ideais e a minha opção partidária e a forma como a População me tratava com amizade simpatia. Na minha caderneta já de à muito estava marcada a vermelho como um perigoso esquerdista e membro do PCP e o Gerente e Sub-Gerente, seguiam escrupulosamente as ordens dos Administradores e as suas opções políticas eram declaradamente da direita conservadora. Foi com alguma raiva e frustração que assistiram em 1982, à nomeação para a Câmara Municipal de Coruche, como Vereador a tempo inteiro.
Mas desses tempos de descontentamento profissional, mas também da promoção social e política, terá de ficar para outra crónica, para não me afastar do tema principal com que iniciei esta crónica sobre a nossa Terra que forçoso é que termine com esta declaração.
Os 18 anos que temos passado na "nossa terra" têm sido muito agradáveis e positivos, apesar de alguns momentos de sofrimento e de dor pelo falecimento dos meus Pais, da Mãe Guilhermina e de alguns dos Familiares mais chegados.
Por outro lado e muito compensadoramente, fomos bafejados pela sorte de termos assistido ao nascimento em 2011, da nossa querida Neta Margarida, filha do Paulo e da Susana e que tem sido uma companhia de esperança e de alegria com muito amor e afectos.
Também o Paulo se tem esforçado por se fazer um homem bom, trabalhador incansável ( nem sempre com muita sorte) e com vontade de constituir família e permanecer uma ligação forte connosco. Bem hajam todos estes factores que têm cimentado a nossa decisão que continuamos a julgar como a melhor que fizemos na nossa vida.
Assim podemos concluir nesta breve crónica que o regresso a Castelo de Vide, apesar da saúde nem sempre ter sido a melhor e que constitui neste momento causas de alguma preocupação, veio-nos dar belos momentos de alegria de prazer e de serenidade e têm sido sem qualquer dúvida 18 anos muito felizes.
Castelo de Vide, Setembro de 2018
Cidália Maria Alagoa Carreira Raposo e José António Martins Raposo
 

sexta-feira, 17 de agosto de 2018

INFORMATIVO

Desde o dia em que aderi ao "FACE" que tenho tentado manter com todo o cuidado as balizas que estabelecidas pela Rede Social, em termos de linguagem e de temas que não sejam ofensivos à moral pública, aos costumes e tradições do nosso Povo. Tomo naturalmente, posição social e política, mas conservando sempre a tolerância necessária para compreender posições críticas e antagónicas aos princípios que sempre defendi. Geralmente não entro em polémicas desnecessárias, e, tento sempre não ofender as pessoas, pese embora o facto de discordar dos actos que são praticados.
Quando escrevo, não pretendo ensinar. Escrevo para ouvir e aprender.

















Os temas escolhidos não seguem uma linha cronológica e rectilinia, vêm ao sabor de momentos de alegria, de introspecção, de tristezas e alegrias; de amor e de raiva sentida pelo olhar de um mundo que me rodeia, conttraditório e muitas vezes absurdo.

Há também momentos de recordação, de experiências vividas, de ensinamentos recebidos, de viagens, de música, de livros, de cinema e de teatro, sobretudo de acontecimentos ligados às artes e às pessoas criativas que com os seus actos e obras têm contribuído para fazer este mundo mais humano e progressista.


 
Depois deste longo preâmbulo, passo a registar algumas intervenções efectuadas nos últimos tempos:
                
BERTOLD BRECHT                          AUDREY HEPBURN


             
          ALFRED HITCHCOK                  CHICO BUARQUE


 
   
       CHARLIE CHAPLIN            DIMITRI SHOSTAKOVCH

                         
 
                                  PABLO NERUDA

MARLYN MONROE     




 

 

 JOANA BAEZ                EDUARD MANET
 Aqui estão algumas das figuras que entendi colocar no "FACE" - São Artistas de Cinema, escritores , Poetas, Dramaturgos, Pintores, Cantores e Compositores de grande mérito.
Castelo de Vide, num dia de Agosto de 2018
 

 

quinta-feira, 24 de maio de 2018

TOMADA DE POSSEExmo. Senhor Presidente da Mesa da Assembleia Municipal
Exmo. Senhor Presidente da Câmara Municipal
Exmas. Autoridades Militares, Civis e Religiosas
Exmas. Senhoras e Senhores Convidados, muito bom dia!

Carlos Colegas, é com muita honra e dignidade que me junto a vós neste acto solene de tomada de posse como Membro da Assembleia Municipal, permitem-me que dirija uma saudação especial a toda a população de Castelo de Vide que mais uma vez, demonstrou em todo processo eleitoral, o seu exemplar civismo e a consciência de cidadania que certamente contagiou os próprios Partidos e a sua campanha eleitoral.

O Sr. Presidente da Mesa da Assembleia Municipal que teve a gentileza de me dar a palavra, pediu-me, para ser breve e prometo não me alongar, nem fazer nenhum discurso. Toda a gente me conhece e sabe, quais são os meus ideais, que se afirmam como acérrimo defensor dos mais fracos e desprotegidos e muito em especial, por todos aqueles que continuam com graves problemas na saúde, na habitação e no emprego.

Tudo isso, vem exposto claramente no nosso Programa Eleitoral, que tentarei por todos os meios concretizar. Também posso garantir, que darei todo o meu apoio a todos os Projectos, que sejam positivos para os naturais e residentes no Concelho. Como é óbvio, combaterei e rejeitarei todos os Projectos que de algum modo tenham a intenção de prejudicar as nossas gentes.

A nossa Terra tem que ser melhor para todos nós, sem qualquer tipo de descriminação. A minha obrigação e o meu dever, é lutar para que assim seja!

Muito obrigado a todos, vamos ao trabalho!

Castelo de Vide, 14 de Outubro de 2017
José na tomada de posse
José Assina tomada de posse
 
A Mesa constituinte da 1ª. Assembleia.
 
Público assiste
 
Depois da Tomada de posse.
 
 
  

quarta-feira, 23 de maio de 2018


O 25 DE ABRIL DE 2018



Castelo de Vide, comemorou com dignidade a data histórica do 25 de Abril. Todos os Órgãos Autárquicos e todas as forças políticas se fizeram representar com dignidade e respeito, comemorando os 44 Anos da Revolução dos Cravos. Cecília Oliveira, representando o PS, José A. Raposo, representando a CDU, foram indicados pelo Sr. Presidente da Câmara, António Pita, para hastear a Bandeira Nacional, junto à estátua do Capitão Salgueiro Maia, correspondendo ao convite do Sr. Presidente da Câmara Municipal Viva o 25 de Abril!

A RUA DAS ESPINHOSAS

Esta é a Rua das Espinhozas que nasce logo a seguir ao Arco da Porta Nova e vai "desaguar" na Rua de Santo Amaro. No Casarão onde viveu, o Dr. Frederico Laranjo, residiram os meus Bisavós Maternos, Fortunato do Carmo Carrilho e Joaquina Rosa Pascoal e aqui viveram muitos anos na qual nasceram os seus oito filhos. Entre eles. havia uma jovem chamada Maria de Alegria Carrilho que veio a casar com António da Anunciada Martins. Deste casamento nasceram quatro filhos, entre eles a minha querida Mãe, Fortunata de Alegria Martins que ficou orfão apenas com um ano. Anos mais tarde os meus Pais, compraram na mesma Rua nº. 3 uma casinha, onde viveram ainda muitos anos felizes. Foto de José Ventura
EFEMÉRIDES: George Orson Welles, nasceu em Kenosha, WI, 6 de maio de 1915 — e faleceu em Los Angeles, CA, 10 de outubro de 1985) foi um cineasta norte-americano. Também foi roteirista, produtor e ator. Iniciou a sua carreira no teatro, em Nova Iorque, em 1934.
É considerado um dos artistas mais versáteis do século XX no campo do teatro, do rádio e do cinema, em que teve excelentes resultados. Ele alcançou o sucesso aos vinte anos graças à obra radiofónica, A Guerra dos Mundos..., que causou comoção nos Estados Unidos quando muitos ouvintes pensaram que se tratava de uma retransmissão verdadeira de uma invasão alienígena. Esta sensacional estreia lhe valeu um contrato de três filmes com o estúdio RKO, que lhe deu a liberdade absoluta em suas realizações. Apesar destes benefícios, apenas um dos projectos planeados conseguiu ver a luz do dia: Citizen Kane (1941), o seu filme mais bem sucedido. In.: Wiq

sexta-feira, 14 de julho de 2017


GUIÃO APRESENTAÇÃO CANDIDATOS
DA
CDU - CASTELO DE VIDE
 
Caras e caros amigos e camaradas, obrigado a todos por terem vindo a este que é o primeiro acto público da CDU no concelho de Castelo de Vide, no âmbito da preparação das Eleições Autárquicas a realizar no próximo dia 1 de Outubro.

Vamos dar início a esta Sessão, informando que lamentavelmente devido a uma operação de urgência, não pode estar presente, o Camarada Manuel Frenando Synarle de Serpa Soares, Mandatário da Candidatura CDU.
O nosso Mandatário Concelhio não pode estar presente por motivos de saúde.

Chamo de seguida para a mesa:
Alcino Viriato Maniés Bugalho, cabeça de lista à Assembleia de Freguesia de São Tiago Maior;

 Amândio de Alegria Patacas, cabeça de lista à Assembleia de Freguesia de São João Baptista;

 Maria Alice Aurélio Vaz de Carvalho Alves, cabeça de lista à Assembleia de Freguesia de Santa Maria da Devesa;

 Nuno José Martins Fidalgo, cabeça de lista à Assembleia de Freguesia de Póvoa e Meadas;

 José António Martins Raposo, cabeça de lista à Assembleia Municipal de Castelo de Vide;

 Raquel Isabel Pinto Vaz Raimundo, cabeça de lista à Câmara Municipal de Castelo de Vide.

                                         
Chamo ainda:
Rogério Duarte Silva, responsável pela Organização Concelhia de Castelo de Vide e pela Organização Regional de Portalegre, Membro do Secretariado da DORPOR e do Comité Central do PCP;
Manuela Cunha, Membro do Conselho Nacional e da Comissão Executiva do Partido Ecologista "Os Verdes"
Armindo Miranda, membro da Comissão Política do Comité Central do PCP
Passo agora às apresentações:
É Cabeça de Lista à Assembleia Municipal de Castelo de Vide
José António Martins Raposo
Nasceu em Castelo de Vide, a 14 de Dezembro de 1941.
Está casado com Cidália Maria Alagoa Carreira Raposo, têm um filho e uma neta.
Em 1960, inscreveu-se como aluno da Escola Comercial e Industrial Júlio das Neves até ao 2º ano do Curso Geral do Comércio, terminou o mesmo na Escola Comercial Vicente Ferreira- Luanda. Tem a frequência do 3º. Ano do Instituto Comercial/Contabilidade. Tirou o Curso de Gestor, no Instituto de Formação Bancária-Lisboa.
Em 1960, fez exame como músico, na Banda Militar do Regimento de Infantaria 15 em Tomar. Dois anos depois, foi transferido para a Banda Militar do Regimento de Infantaria de Luanda.
Foi Funcionário da Comfabril (Filial da CUF) em Luanda e em 1968 entrou como Funcionário do Banco Pinto & Sotto Mayor - Filial de Angola. Em 1975,  foi nomeado gestor da N.E.A. - Nova Editorial Angolana, em representação do BPSM. Foi reintegrado no mesmo Banco em Portugal no ano de 1978, tendo optado por trabalhar na Agência do Couço e anos mais tarde pediu a transferência para Sesimbra onde se manteve até à sua reforma.
Foi dirigente de diversas Associações Culturais e Desportivas. Tirou vários Cursos ligados ao Associativismo. Em 1985, concluiu o Curso de Agente de Desenvolvimento Sociocultural no Centro Regional de Santarém. Foi coo-autor do Diagnóstico Socioeconómico e Cultural do Distrito de Santarém. Foi um dos dirigentes fundadores da Associação dos Amigos do Concelho de Coruche e do Rancho Folclórico "Os Malmequeres do Sorraia". Pertenceu à Direcção da Banda Filarmónica de Sesimbra.
Fez parte da Direcção da Associação de Amizade Portugal-URSS (mais tarde com o nome de Associação de Amizade Yuri Gagarine) foi um dos fundadores dos núcleos de Coruche e de Sesimbra desta Associação
Regressado a Castelo de Vide em 2000, foi convidado e eleito para a Direcção da Associação de Pais e posteriormente para a Direcção da Banda União Artística, sendo em simultâneo integrado como músico da Banda de Música. Em 2002 foi eleito para a Direcção do Grupo de Amigos de Castelo de Vide, sendo nesta data, o Presidente do Conselho Fiscal. Pertence desde 2009, aos Corpos Sociais da Santa Casa da Misericórdia de Castelo de Vide, exercendo o cargo de 1º. Secretário da Assembleia Geral.
Foi dirigente sindical desde 1970 até ao ano de 1995. Pertenceu à primeira Direcção do Sindicato dos Bancários de Angola, logo após o 25 de Abril de 1974.
É membro do PCP desde o ano de 1978. Desempenhou várias tarefas de responsável no Couço, Coruche, Sesimbra e em Castelo de Vide.
Em 1979, foi eleito pela CDU, para a Assembleia Municipal de Coruche até ao ano de 1982. Neste ano foi candidato da CDU à Câmara Municipal . Com a Lei 100/84 entrou como Vereador a tempo inteiro com o pelouro da Educação, Acção Social, Juventude e Desportos. Em 1988 pediu a suspensão do mandato por motivos familiares e profissionais.
Foi membro da Assembleia Municipal de Sesimbra, desde o ano de 1989 até às eleições de 1997, exercendo o cargo de Coordenador da Comissão de Educação, Juventude e Segurança Social.
Nas eleições de 1997 e de 2001, foi candidato pela CDU, à Câmara Municipal de Castelo de Vide.

 Feita a apresentação, convido para intervir, o Camarada José António Martins Raposo, cabeça de lista à Assembleia Municipal de Castelo de Vide;

 É Cabeça de Lista à Câmara Municipal de Castelo de Vide;
Raquel Isabel Pinto Vaz Raimundo
 
 
Raquel Isabel Pinto Vaz Raimundo, nascida a 16-12-1983, 33 anos, 1 filho.

Operadora especializada na empresa Pingo Doce S.A.

Militante da JCP- Juventude Comunista Portuguesa até 2015 e membro da Comissão de Concelhia do PCP de Castelo de Vide.

Dirigente sindical do CESP- Sindicato dos trabalhadores do comércio, escritórios e serviços de Portugal/CGTP-IN.

Membro do Conselho Nacional e da Direcção Regional do CESP/CGTP-IN.

Membro do Secretariado Nacional do Pingo Doce do CESP/CGTP-IN.

Coordenadora do CESP para o Alentejo da CIMH/CGTP-IN (Comissão para a Igualdade entre Mulheres e Homens).

Feita a apresentação, convido a intervir, a camarada Raquel Isabel Vaz Raimundo, cabeça de lista à Câmara Municipal de Castelo de Vide.

 AMINHAMENSAGEM
Carosamigosecamaradas,foicomimensoorgulhoquerecebioconvitedaCDU,paraseracandidataapresidênciadacâmaramunicipaldecastelodevide,naspróximaseleiçõesautárquicasaterlugarnodia1deoutubro.

DepoisdealgumareflexãoponderadafacearesponsabilidadedocargofoimegarantidooapoioincondicionaldetodososmembrosdopartidoedaCDUdecastelodevideoquecontribuiuparaaceitarohonrosoconvite.

EstouhojeaquiperantetodosparavosafirmarqueestoutotalmenteempenhadaadesenvolvercomdignidadeeempenhooprojetodaCDUparaoconcelhodecastelodevide.

Comprometo-me,adefenderealutarpelasmelhorescondiçõesdevidadetodaapopulação,defendendoasuaparticipação,osserviçospúblicoseosdireitosdostrabalhadores.

Comprometo-me,alutarporumavidamelhorparaosjovens,asmulhereseosidosos,tentoemcontaaculturaeoempregocomsegurançaquerespeitoasleiseodireitoaotrabalho,combatendoograndeflagelodaprecariedadequetantotemprejudicadoosnossosjovens.

Comprometo-meadefenderoassociativismo,comosapoioseincentivosequitativos,necessáriosaumamelhoraplicaçãodosPlanosdeActividade,privilegiandoosjovensquetrabalhamnovoluntariadoequecontribuemparaodesenvolvimentocultural,desportivoeeconómico-socialdoConcelho.OmesmodeveserfeitoemrelaçãoàsIPSS.

OprogramadaCDUnascedeumcoletivoquetemoseuprojetodistintivodetodasasoutrasforçaspolíticas.

OnossoProgramaEleitoralvaitercomobaseumaamplaauscultaçãodapopulaçãoqueresidenoConcelho,respeitandoosanseios,assugestõeseaspropostasobjectivasquetenhamemcontaodesenvolvimentoharmonioso,económicoesocialquecontribuaparamelhorarascondiçõesdosTrabalhadores,dosPequenoseMédiosAgricultores,industriaisedocomercioemgeral.

PropomosquesejareestruturadoonossomíseroParqueIndustrial,criandocondiçõeseincentivosparaquesejaminstaladaspequenasemédiasempresas,tendocomofimacriaçãodeempregosdequeajuventudeestáhámuitosanosnecessitada.

Adesertificaçãonanossaterraéoresultadodafaltadeumverdadeiroprojectopolítico,económicoesocialquenãotemtidoacapacidadeeavontadepolíticaparainverterestadegradantesituação.

OTurismoquedefendemostemqueestarassentenumprojectosustentávelnoqualosagenteseapopulaçãoestejaintegradaebeneficiedosseusefeitos.

Anossalindaterrabeneficiadeummicro-sistemaclimatéricoquecontribuiparaaexistênciadeumaagradávelzonaflorestaledeumapaisagemnaturalquejáfoinoutrostemposlugardedestaqueanívelnacional.Propomo-nosrealizarumPlanoderecuperaçãoambientalquesetemvindoadegradarnosúltimosanosequetambémprejudicaoturismo.

Propomo-nosapoiarasEscolasdoConcelhoporquedefendemosaEscolaPúblicaetemosnaEducaçãoumadasgrandesprioridadesdonossoPrograma.

ACDUfazfaltaemCastelodeVide!ContamoscomumforteapoiodapopulaçãoparaconcretizarosnossosobjectivosquevisamaumentaravotaçãoeoscandidatosemtodososÓrgãosAutárquicosdoConcelhocontribuindoparaalterarfinalmenteosistemadasmaioriasabsolutasquetantoprejuízotêmdadoparaoempobrecimentodaclassesmaisdesprotegidas.

 

Propomo-nos apoiar as Escolas do Concelho porque defendemos a Escola Pública e temos na Educação uma das grandes prioridades do nosso
A CDU faz falta em Castelo de Vide! Contamos com um forte apoio da população para concretizar os nossos objectivos que visam aumentar a votação e os candidatos em todos os Órgãos Autárquicos do Concelho contribuindo para alterar finalmente o sistema das maiorias absolutas que tanto prejuízo têm dado para o empobrecimento da classes mais desprotPara finalizar esta iniciativa, convido a intervir, o Camarada  Armindo Miranda, membro da Comissão Política do Comité Central do PCP.

Assim terminamos a nossa iniciativa, apelando a todos que participem activamente na campanha que se avizinha, porque uma CDU reforçada é garantia de mais e melhor trabalho em prol da população de Castelo de Vide.
Convido-os de seguida para um "Castelo de Vide de honra".
Viva o Concelho de Castelo de Vide!
Viva a CDU!Doce S.A.
Militante da JCP- Juventude Comunista Portuguesa até 2015 e membro da Comissão Concelhia do PCP de Castelo de Vide.
Dirigente sindical do CESP- Sindicato dos trabalhadores do comércio, escritórios e serviços de Portugal/CGTP-IN.
Membro do Conselho Nacional e da Direcção Regional do CESP/CGTP-IN.
Membro do Secretariado Nacional do Pingo Doce do CESP/CGTP-IN.
Coordenadora do CESP para o Alentejo da CIMH/CGTP-IN (Comissão para a Igualdade entre Mulheres e Homens).


 

 

 

 

 

Caros amigos e camaradas, foi com imenso orgulho que recebi o convite da CDU, para ser a candidata a presidência da câmara municipal de castelo de vide, nas próximas eleições autárquicas a ter lugar no dia 1 de outubro.

Depois de alguma reflexão ponderada face a responsabilidade do cargo foi me garantido o apoio incondicional de todos os membros do partido e da CDU de castelo de vide o que contribuiu para aceitar o honroso convite.

Estou hoje aqui perante todos para vos afirmar que estou totalmente empenhada a desenvolver com dignidade e empenho o projeto da CDU para o concelho de castelo de vide.

Comprometo -me, a defender e a lutar pelas melhores condições de vida de toda a população, defendendo  a sua participação, os serviços públicos e os direitos dos trabalhadores.

Comprometo -me, a lutar por uma vida melhor para os jovens, as mulheres e os idosos, tento em conta a cultura e o emprego com segurança que respeito as leis e o direito ao trabalho, combatendo o grande flagelo da precariedade que tanto tem prejudicado os nossos jovens.

Comprometo -me a defender o associativismo, com os apoios e incentivos equitativos, necessários a uma melhor aplicação dos Planos de Actividade, privilegiando os jovens que trabalham no voluntariado e que contribuem para o desenvolvimento cultural,  desportivo e económico-social do Concelho. O mesmo deve ser feito em relação às IPSS.

O programa da CDU nasce de um coletivo que tem o seu projeto distintivo de todas as outras forças políticas.

O nosso Programa Eleitoral vai ter como base uma ampla auscultação da população que reside no Concelho, respeitando os anseios, as sugestões e as propostas objectivas que tenham em conta o desenvolvimento harmonioso, económico e social que contribua para melhorar as condições dos Trabalhadores, dos Pequenos e Médios Agricultores, industriais e do comercio em geral.

Propomos que seja reestruturado o nosso mísero Parque Industrial, criando condições e incentivos para que sejam instaladas pequenas e médias empresas, tendo como fim a criação de empregos de que a juventude está há muitos anos necessitada.

A desertificação na nossa terra é o resultado da falta de um verdadeiro projecto político, económico e social que não tem tido a capacidade e a vontade política para inverter esta degradante situação.

O Turismo que defendemos tem que estar assente num projecto sustentável no qual os agentes e a população esteja integrada e beneficie dos seus efeitos.  

A nossa linda terra beneficia de um micro-sistema climatérico  que contribui para a existência de uma agradável zona florestal e de uma paisagem  natural que já foi noutros tempos lugar de destaque a nível nacional. Propomo-nos realizar um Plano de recuperação ambiental que se tem vindo a degradar nos últimos anos e que também prejudica o turismo.

 

domingo, 14 de maio de 2017


CATE BLANCHETT
A actriz Australiana nasceu em Melbourne, no dia 14 de Maio de 1969. É neste momento uma das actrizes mais famosas de Hollywood  com um notável palmarés dos quais se destacam dois Óscares e três Globos de Ouro, havendo ainda a registar o facto de ter sido considerada a melhor Atriz do Ano de 2016  com o Filme Carol..
Muitos dos seus filmes obtiveram enorme sucesso, graças ao seu enorme talento. Filmes como "O Senhor dos Anéis", "O Aviador",  " Blue Jasmine" de Woody Allen e Carol. Este foi um dos filmes de que mais gostei de ver, no qual interpreta o papel de uma esposa desavinda com o seu marido que se apaixona por uma jovem, frágil e carente. O filme retrata a sociedade de Nova Iorque nos inícios dos anos 50, com todas as contradições de uma sociedade presa de muitos tabus.

 
Não esqueço também a fabulosa interpretação no papel da Rainha de Inglaterra, Isabel I. Um retrato da idade de ouro da Ilha Britânica.
 Blue Jasmine é um Filme de Woody Allen, muito ao seu jeito de retratar a classe média da América com muito humor e alguns laivos de tragédias familiares, misturando sempre um banda sonora de grande qualidade jazzística. Cate Blanchett está no seu melhor, desempenhando o papel de uma burguesa que vê a sua vida desabar, atola na desgraça, mas consegue dar a volta por cima.

 Sempre encantadora, sempre mulher com M grande, impecável no desempenho das mais variadas figuras, com uma beleza nívea, sentimental, mas sempre de uma enorme elegância que sobressai no seu modo de estar também na vida.
 É bom de dizer que Cate teve o prazer de contracenar com grandes actores e muito bons realizadores. Leonard de Caprio, Alec Baldwin, Tommy Lee Jones e Robert Bedford, são alguns deles.Em 1996, Cate casou-se com o grande dramaturgo Andrew Upton , têm três filhos e o casal  vive feliz.Castelo de Vide, 14 de Maio de 2017

Martins Raposo