FOI PRECISO AO HOMEM MUITO TEMPO PARA SE ELEVAR ACIMA DA NATUREZA!

TODA A ARTE É CONDICIONADA PELA SUA ÉPOCA... De Ernst Fischer
















terça-feira, 6 de outubro de 2009

VIVER A HISTÓRIA
MERCADO MEDIEVAL EM CASTELO DE VIDE

Começo por saudar a Câmara Municipal e dar-lhe os parabéns, por ter organizado pela primeira vez na nossa Terra um evento a que deu como título de “VIVER A HISTÓRIA”., servindo-se de uma Empresa Nacional muito credenciada e que tem ao seu serviço actores de grande experiência neste tipo de actuações.Dizer também que gostei no seu conjunto da forma como decorreram todas as actividades a que pude assistir, com especial relevo para a “cena” em que se representaram alguns acontecimentos históricos, dando relevo aos numerosos conflitos com os nossos vizinhos espanhóis que durante séculos instigados mais por interesses económicos do que políticos resolviam quase todos os seus problemas em escaramuças e pequenas batalhas.A melhor de todas as “Cenas” foi sob o meu modesto entender, o Torneio de Armas a Cavalo” realizado na noite do dia 06 de Setembro em que se digladiaram os Cavaleiros e os Guerreiros que os acompanhavam.Da mesma forma, julgo que o “Assédio e Assalto ao Castelo pelas Tropas Castelhanas, foi a “Cena” menos conseguida como quadro histórico, representado num local (A Igreja) nada apropriado com uma encenação muito pobre e desequilibrada, por falta de luz e de som que nos impediram de ouvir os diálogos e as movimentações apresentadas de uma forma um pouco trapalhona e jocosa, com os assaltantes mais interessados no vinho e na libertinagem do que no eventual assalto ao castelo.Como disse do que vi, em termos de organização pareceu bastante bem, com a presença de grupos de bailado e músicas da época, assim como as tendas que representavam os diferentes grupos étnicos, os utensílios usados e algum artesanato.Mereceu bastantes elogios o mercado dos produtos hortícolas da responsabilidade do Rancho Folclórico de Nª. Sª. de Alegria quer pelos produtos apresentados com muitos géneros com qualidade e frescura, aliás já demonstrada num evento há poucos meses, com os seus elementos vestidos como os camponeses da época.As tabernas e a “Cena” do Javali assado no espeto por pessoa experiente e servido aos numerosos comensais contribuíram para alegrar os espectadores e aqueceram o ambiente festivo que se viveram nestes dias.
As pessoas que se prestaram a vestir os trajes da época, representando classes sociais diferentes, mas muito bem conseguidos. Sem desprimor para ninguém, mas se a Rainha Santa Isabel, fosse tão bonita e popular como a “nossa” teremos que dar razão ao Senhor seu esposo, D. Dinis, por se sentir orgulhoso e muito ufano dos dotes naturais da sua real esposa.Um pequeno senão, apenas para o desfasamento que se reflectiu na inclusão de alguns Stands com artesanato e bugigangas que nada têm a ver
com a época que se pretendeu recriar, destoando com as bonitas
tendas que a meu ver deveriam ter ficado num local mais em evidência. Mas este pequeno senão sob o meu ponto de vista, a Festa não perdeu o seu fulgor e a importância de grande acontecimento cultural que contou com a adesão de todos os Castelovidenses e a visita de numerosas pessoas que vieram dos Concelhos vizinhos, incluindo naturalmente das simpáticas gentes de Valência de Alcântara e das localidades espanholas mais próximas.Em jeito de conclusão poderia afirmar que este “Viver da História” em Castelo de Vide, foi um sucesso que conquistou logo na sua primeira edição as simpatias da população, por isso é natural que este tipo de eventos se volte a repetir, embora muito pessoalmente não se justifique fazê-lo anualmente, até pelos elevados custos que um evento desta natureza acarreta para o Município cujas finanças não se perspectivam venham a melhorar num futuro próximo.CV – Setembro 2009JAM































CV-Setembro de 2009
Martins Raposo

Sem comentários:

Enviar um comentário