FOI PRECISO AO HOMEM MUITO TEMPO PARA SE ELEVAR ACIMA DA NATUREZA!

TODA A ARTE É CONDICIONADA PELA SUA ÉPOCA... De Ernst Fischer
















quarta-feira, 24 de março de 2010

PEDRO ABRUNHOSA
UM DOS ÍCONES DA MÚSICA PORTUGUESA
A propósito de uma mensagem que o meu Amigo Álvaro Monteiro, bancário por acaso e necessidade, mas grande músico e invulgar intérprete de Jaz e de música portuguesa, actuando actualmente com o duo “Álvaro & Zé Victor", que tem merecido o aplauso dos numerosos admiradores que conquistaram com actuações memoráveis, em toda a zona de Sesimbra, Setúbal e outras localidades.
Como ia dizendo, hoje enviou-me um post, em que se vê o músico Pedro Abrunhosa, nos primórdios da sua carreira musical, integrando um grupo musical, ainda sem os famosos óculos que marcaram mais tarde o culto da sua personalidade. Aproveitei para dar uma espreitadela ao seu vasto currículo e aqui ficam alguns dados para os mais jovens que não conheceram este extraordinário intérprete de Jaz que tantos êxitos alcançou nos anos 80.
Pedro Machado Abrunhosa, nasceu no Porto, em 20 de Dezembro de 1960, descendente de músicos amadores que o incentivaram a seguir os estudos das artes musicais.
O seu primeiro instrumento foi o Contrabaixo de Cordas, integrando o Grupo de Música do Porto, dirigido pelo Maestro Cândido de Lima. Ao mesmo tempo iniciou as suas experiências na área do Jaz, seguindo de perto nomes como Billy Hart, David Liebman, Todd Coolman e outros. Neste período formou a Banda de Bolso e o Sexteto de Pedro Abrunhosa, tendo efectuado numerosas actuações com músicos internacionais e foi um dos co-fundadores da Escola de Jaz do Porto.
Já na década de 90 com a composição do Álbum Viagens, deu-se a grande viragem no estilo de composições musicais, aproximando-se musicalmente do “pop-rock”, reforçando a sua atitude de rebeldia e de contestação à situação política.
A sua nova imagem impõe-se com uma gestualidade provocatória, combinando o vestuário negro, com os célebres óculos escuros que jamais vai tirar nos seus espectáculos e no contacto com o público.
Os anos 90 são contemplados com grandes espectáculos e com grandes êxitos musicais, radicalizando o seu estilo musical com aproximações ao “funky e ao hip-hop”, utilizando técnicas de “sampling” com as suas interpretações que transitam invariavelmente do canto para a pura declamação. O Álbum “Silêncio” obtém enorme sucesso em todos os seus espectáculos.
A sua já longa carreira como intérprete e compositor afirmou-se como um dos grandes “ícones pop”da musica portuguesa contemporânea, reconhecido além fronteiras, muito em especial em Espanha e no Brasil onde famosos intérpretes como Elba Ramalho e Zeca Baleiro, têm utilizado as suas canções nos seus reportórios.
São muitos os Prémios que Abrunhosa já conquistou, entre os quais se contam dois Globos de Ouro, vários prémios da Revista Blitz, da Rádio Nova Era e ainda o Prémio da Melhor Banda Sonora em Espanha e o Prémio Melhor Compositor pela RCL.
Esta pequena súmula da bem sucedida vida deste extraordinário músico está naturalmente muito reduzida na verdadeira dimensão, que ainda muito recentemente nos surpreendeu com a criação de uma nova formação musical, “Comité Caviar”, confirmando a coragem de prosseguir com a sua irreverência e demonstrando que se pode ser “contestatário militante” sem perder a excelente qualidade que as suas composições sempre têm tido.
 
CV- 24.03.10
Martins Raposo
NOTAS: Dados recolhidos na Enciclopédia da Música em Portugal no Sec. XX, Wikipédia e Álvaro Monteiro, para o qual vai um  abraço amigo e o meu muito obrigado, pelas excelentes músicas que tem enviado.














O Duo "Alvaro& Zé Vitor"

1 comentário:

  1. Um dos maiores icones da musica portuguesa sem duvida... Adoro!!
    Obrigada por este post onde clarifica a sua enorme marca na musica nacional e tambem internacional.
    De facto é triste que por vezes nao seja dada a devida importancia às pessoas que realmente enriquecem a nossa musica.

    ResponderEliminar