FOI PRECISO AO HOMEM MUITO TEMPO PARA SE ELEVAR ACIMA DA NATUREZA!

TODA A ARTE É CONDICIONADA PELA SUA ÉPOCA... De Ernst Fischer
















terça-feira, 26 de outubro de 2010

JOSÉ CARRILHO GANHA 1º. PRÉMIO

NOS JOGOS FLORAIS DA ALMA ALENTEJANA
José Carrilho obteve o 1º. Prémio com o seu Conto intitulado “FUTURO GERÓNIMO, OU O IDEÁRIO PERPETUADO”, nos X JOGOS FLORAIS – realizados pela Associação ALMA ALENTEJANA, com Sede em Almada.

A cerimónia realizou-se no Auditório Romeu Correia dirigida pelo Presidente da Direcção Sr. António Oliveira que iniciou os trabalhos com palavras de louvor e agradecimento ao patrono destes Jogos Florais, Dr. Simas Abrantes (o 1º. Presidente da Direcção desta Instituição) e logo de seguida procedeu à entrega dos Prémios de Poesia e do Conto, começando naturalmente pelas menções honrosas e finalmente chamando o José Francisco Carrilho, natural de Castelo de Vide, para lhe entregar o 1º. Prémio, conseguido com o seu maravilhoso Conto “Futuro Jerónimo ou o Ideário Perpetuado”.

Este Conto, é uma bela narrativa de alguns episódios que se passaram com a implantação da República tendo como personagem um filho de gente abastada do Alentejo que influenciado por um familiar, aderiu de corpo e alma aos ideais defendidos por alguns dos republicanos do 5 de Outubro e  de certo modo os aplicou pela vida fora, auxiliando os mais desprotegidos e apadrinhando muitas crianças filhas dos camponeses da sua terra.
Seguindo de forma breve as atribulações do novo regime que não só traiu as esperanças dos trabalhadores, como acabou cedendo o lugar à ditadura de Salazar. O autor, eleva a personagem principal como um dos muitos resistentes que nunca desistiram de defender os ideais humanistas da Revolução de Outubro e acreditaram num futuro melhor.

Aos seus afilhados João Marcelino, assim se chama o herói desta brilhante narrativa, apenas exigia que tivessem como nome próprio as palavras Liberdade e Fraternidade e ao último atribuiu o nome de Futuro, querendo perpetuar no nome dos seus afilhados, o seu ideário republicano.
Aos leitores deste pequeno apontamento, aconselho vivamente a leitura da versão integral deste belo conto, inserido no “Blogue Ribeiro da Fonte”, no qual o premiado evoca o nome de Isabel Diniz (Avó dos seus Filhos), contadora de lindas histórias que lhe terá servido de inspiração para este seu trabalho.
O Prémio dedicou-o José Carrilho aos seus Familiares e Amigos e às gentes da sua Terra, num gesto muito bonito e muito aplaudido pela numerosa assistência que enchia por completo o Auditório Romeu Correia.

Está de parabéns o nosso conterrâneo, pelo prémio alcançado com o seu excelente trabalho. Ficamos a aguardar com renovado interesse os seus trabalhos literários.
Resta-me terminar com uma palavra de apreço pela distinta simplicidade como decorreu a cerimónia da entrega dos prémios, na qual participaram para além do Patrono destes Jogos Florais, o Presidente da Associação, todos os elementos do Júri que foram distinguidos com palavras elogiosas dos presentes.
Do Programa fez parte ainda um Grupo de Jovens Violonistas que presenteou o público com bonitos e variados trechos musicais. A terminar tivemos o grato prazer de assistir à actuação de Francisco Naia e dos seus acompanhantes que deliciou a assistência com a sua voz extraordinária e algumas das canções do seu vasto e importante repertório.
Martins Raposo
CV-25.10.10

2 comentários:

  1. Belíssimo conto, escrito com ALMA Alentejana.PARABÈNS e que venham mais :-D Susana

    ResponderEliminar