FOI PRECISO AO HOMEM MUITO TEMPO PARA SE ELEVAR ACIMA DA NATUREZA!

TODA A ARTE É CONDICIONADA PELA SUA ÉPOCA... De Ernst Fischer
















quarta-feira, 10 de novembro de 2010

PARTIU SEM CUMPRIR O SONHO!

JOÃO AGUIAR


João de Aguiar, nasceu em Lisboa, no dia 28 de Outubro de 1943 e faleceu nesta cidade no passado dia 03 de Junho. O escritor dedicou grande parte da sua obra ao romance histórico, estreando-se com “A Voz dos Deuses” que alcançou um grande sucesso. Trata-se de uma biografia romanceada do herói lusitano, Viriato, traçando um quadro da época em que a Lusitana esteve ocupada pelos Romanos.
A Voz dos Deuses, descreve-nos a forma como os habitantes da Lusitana não aceitaram pacificamente a ocupação do invasor, e, escolheram Viriato, para chefiar a revolta que acabaria por ser derrotada com a traição e a desproporção das forças inimigas.
Na “Encomendação das Almas” o escritor descreve-nos o mundo rural com os seus mitos e as suas tradições arreigadas nos velhos costumes.
Na trilogia "Os Comedores de Pérolas", "O Dragão de Fumo" e a "Catedral Verde", descreve-nos em páginas brilhantes a derrocada do chamado império colonial. Mas é sobretudo no estudo da nossa história, que assentam os temas de grande parte dos seus livros – "O Trono do Altíssimo"; "A Hora de Sertório"; "Inês de Portugal" são outros dos títulos que lhe deram a justa fama de grande escritor.
João Aguiar viveu parte da sua vida ligada aos Jornais, pois só com mais de 40 anos apresentou o seu primeiro livro. Para além do Jornalismo escreveu alguns livros para crianças, "Sebastião e os Mundos Secretos" e o "Bando dos Quatro", são os mais conhecidos.

O seu último projecto era escrever um livro sobre a Revolução de 1383.
Infelizmente a doença venceu o escritor que apenas contava 66 anos com imensas faculdades e conhecimentos que nos poderia ter deixando uma Obra muito mais completa e ser reconhecido a nível mundial. Talvez por isso o articulista João Céu e Silva, dá o título ao seu artigo: "João Aguiar parte sem cumprir o sonho". Parece-me bem apropriado, no entanto, a Obra que nos legou merece a nossa atenção e deveríamos ler e reflectir na importância de dar a conhecer aos mais novos toda a sua Obra, pelo seu incontestável valor na literatura contemporânea.
Martins Raposo
CV- Outubro 2010

1 comentário:

  1. De um modo geral gosto das obras de João Aguiar. Ainda assim destaco “A Vos dos Deuses” que no meu ponto de vista é a mais marcante das suas obras e, foi através dela que descobri o escritor.
    Para além de o “conhecer” através da obra, tive a oportunidade de participar, creio que em 2008, num debate, na Cooperativa Prima Folia / Academia Problemática Obscura em Setúbal, com a presença de João Aguiar. Findo o debate lancei-lhe [em privado] o repto para se deslocar a Castelo de Vide e em parceria com o GACV, participar numa iniciativa análoga aquela em que esteve naquela noite.
    O desafio foi prontamente aceite, ficamos de acertar a logística posteriormente. O seu precoce e súbito desaparecimento, impediu-nos de concretizar o projecto em Castelo de Vide.
    Talvez um dia, em nome desse repto, possamos expor e promover a sua obra em Castelo de Vide?
    Que acha da ideia distinto Presidente do Grupo de Amigos de Castelo de Vide?

    ResponderEliminar