FOI PRECISO AO HOMEM MUITO TEMPO PARA SE ELEVAR ACIMA DA NATUREZA!

TODA A ARTE É CONDICIONADA PELA SUA ÉPOCA... De Ernst Fischer
















sexta-feira, 15 de abril de 2011

CINQUENTA ANOS DE BOA MÚSICA

PAULO DE CARVALHO


Vi sempre o Paulo com muita simpatia. Um tipo “porreiro”, amigo dos seus amigos, sempre pronto a dar e dar-se no seu mundo da música, onde foi aprendendo a pulso, sem grandes pressas.
Foi um dos fundadores dos Sheiks, era o baterista do grupo, intervindo esporadicamente como vocalista. Uma vontade enorme de aprender, levou-o ao encontro da música anglo-americana, aderindo aos ritmos dos blues e do rock,n,roll, iniciando-se com composições em inglês como “Missing You” e “Tell me Bird”
Dos Sheiks parte para a Banda 4 e os Fluido em parceria com Dórdio Guimarães e Vasco de Noronha, acentuando a sua música no estilo pop-rock, destacando-se as composições “Baby You Got Me”e “Gotta Start Lovin’You.”


Os anos 70 dá-se uma grande mudança na sua carreira com a sua participação a solo, nos Festivais da Canção da RTP, apresentando-se nesse ano, com a canção “Corre Nina” letra de Carlos Portugal e música de Pedro Osório que tendo ficado em 4º. lugar mereceu o prémio da imprensa para a melhor interpretação.
Seguiram-se os anos os anos 71 a 73, obtendo sucessos com as canções, “Flor Sem Tempo”, “Semente”, “Maria vida fria”, em colaboração com Pedro Osório e José Calvário. Em 1974, apresentou-se com a canção “ E Depois do Adeus”, letra de José Niza e Música de José Calvário, tendo ganho o primeiro prémio.
Foi esta a Canção que serviu de senha para o início das operações militares que levaram ao derrube da ditadura, com a Revolução do 25 de Abril.
Em 1976 estreia-se como compositor para outros intérpretes entre eles, Carlos do Carmo, com a célebre canção, “Lisboa Menina e Moça”, colaborando também com Fernando Tordo, Carlos Mendes, Ary dos Santos e Júlio Pereira.
Em 1985, edita o Álbum “Desculpem Qualquer Coisinha”, com a canção “Meninos do Huambo” e logo a seguir lança o disco “Terras de Lua Cheia” com a colaboração de Luís de Oliveira. “Mãe Negra” é um poema de Alda Lara e uma das mais bonitas canções de Paulo de Carvalho.
Em 1991, grava o álbum “Gostar de Ti”, com temas como a “Gaivota” e “Para um Amigo”. Pouco depois inicia o projecto Música D’Alma, com a colaboração de músicos africanos
Nos últimos anos gravou, “Uma Voz, Uma Vida” (2003), “Cores do fado”(2004), e “O Amor” (2008), com temas “Canção para Tito Paris” e o “Mundo Inteiro”.

No dia 10 de Junho de 2009, foi condecorado com o grau de Oficial da Ordem da Liberdade.
 hoje dia 15 de Abril de 2011, Paulo de Carvalho considerado um dos melhores intérpretes da sua geração, faz precisamente 64 anos. Os meus Parabéns e espero que continue a encantar-nos com a sua belíssima voz e as suas composições maravilhosas.
CV-15.04.2011
Martins Raposo

http://youtu.be/MrW6zP161QI

Sem comentários:

Enviar um comentário