FOI PRECISO AO HOMEM MUITO TEMPO PARA SE ELEVAR ACIMA DA NATUREZA!

TODA A ARTE É CONDICIONADA PELA SUA ÉPOCA... De Ernst Fischer
















sábado, 9 de julho de 2011

ESTREALAS DE SEMPRE

                    MERCEDES SOSA – LA NEGRA


Mercedes Sosa teria hoje 76 anos e com toda a certeza continuaria a encantar-nos com a sua voz “caliente” e luminosa. Ela mesmo disse como seria a sua forma de viver: “até ao fim da minha vida, continuarei cantando como uma cigarra”.
Mercedes Sosa nasceu em San Miguel de Tecuman, a 09 de Julho de 1935, no mesmo dia e na mesma cidade na qual foi assinada a declaração de Independência da Argentina no ano de 1816.
Durante a sua juventude viveu no meio musical onde se distinguiu aos 15 anos. Foi uma fervorosa seguidora da ala esquerda do peronismo ao qual se manteve fiel durante grande parte da sua vida. Mas mais do que no plano político, a sua intervenção caracterizou-se essencialmente pela defesa dos direitos sociais dos mais desprotegidos.

Mercedes Sosa iniciou a sua longa carreira com o lançamento do álbum “La Voz De La Zafra” e a partir daí nunca mais deixou de nos oferecer o melhor da música popular Argentina, com canções que se tornaram autênticos hinos, escritos pelos melhores poetas e pelos melhores compositores aos quais a voz inconfundível da artista contribuiu para a sua divulgação a nível mundial.
No álbum editado em 1965, “Canciones Com Fundamiento” que teve a colaboração do seu marido, Manuel Óscar Mateus, ficaram registadas algumas das canções mais importantes do cancioneiro Argentino. Esse trabalho foi enriquecido com os álbuns, “Cantata Sudamericana e Mujeres Argentinas” que teve para além do seu marido a colaboração dos Compositores Ariel Ramirez e Victor Heredia e do Poeta Feliz Luna. Todo este trabalho levou a que a Artista fosse considerada como um dos pilares mais importantes do “Movimiento del Nuevo Cancionero”.
Mercedes Sosa atingiu o auge da sua carreira, nos anos 70, com espectáculos realizados em todo o mundo. É desses anos a sua parceria com outros grandes músicos e intérpretes, entre os quais se contam os nomes de Chico Buarque, Joana Baez, Sting, Andreia Bocelli, Luciano Pavaroti, Pablo Milanês, Milton Nascimento, Gal Costa e Beth Carvalho.É também deste período a preocupação da intérprete dedicar a sua atenção ao trabalho de outros grandes músicos da América do Sul, com especial relevo para a música popular e de intervenção dos respectivos países. A Canção “Gracias à La Vida” escrita e interpretada por Violeta Parra é um dos muitos exemplos que seguiu nos anos seguintes.
Perseguida pela ditadura do General Jorge Videla a cantora teve que se exilar na Europa, continuando aí a sua actividade artística com grande sucesso.
Mercedes Sosa viu a sua obra ser premiada com três Gramy’s nos anos de 2000, 2003 e 2006, respectivamente com as canções; Misa Criola, Acústico e Corazon Libré o que por si só atesta a trabalho incansável que Mercedes Sosa, tinha nos anos mais recentes. Pela sua obra e pela e pela sua postura cívica, foi nomeada Embaixadora da Boa Vontade junto da UNESCO, para a América Latina e o Caribe.
Numa noite de Setembro, em 1979, Mercedes de Sosa iniciou o seu espectáculo com “Gracias à la Vida” a que seguiram algumas das suas melhores canções que tivemos a sorte de ouvir directamente no Alto da Ajuda. Os milhares de espectadores presentes, brindaram a sua actuação com calorosos e prolongados aplausos. Foi uma noite deslumbrante, animada pela presença de uma das estrelas mais brilhantes do firmamento musical.
A sua morte em 04 de Outubro de 2009, deixou consternados os milhares de amigos espalhados pelo mundo, tendo merecido da Jornalista da Reuter, Helen Poopper as seguintes palavras: Mercedes Sosa lutou contra os ditadores da América do Sul “com a sua voz e se tornou uma gigante da música latino americana. La Negra, saiu da vida para entrar na história como um verdadeiro mito”.
Hasta Siempre!
CV-09.07.2011
Martins Raposo
http://www.youtube.com/watch?v=WyOJ-A5iv5I

sexta-feira, 1 de julho de 2011

ESTRELAS DE SEMPRE

                         AMÁLIA RODRIGUES


Mesmo para os que não têm apreço especial por este estilo musical, não podem ficar indiferentes à extraordinária voz de Amália, considerada a Rainha do Fado. Foi durante muitos anos a melhor Embaixadora de Portugal. Foi uma verdadeira diva que encantou os seus milhares de admiradores, no Cinema, no Teatro, na Televisão e nos Espectáculos Musicais, onde interpretou os melhores Poetas Portugueses.
                                   
A sua longa carreira teve momentos inesquecíveis, alcançando êxitos retumbantes em todos os Continentes, com a sua voz maravilhosa.
Amália Rodrigues, nasceu no dia (!), 01 de Julho de 1920, filha de gente pobre não há ninguém que não conheça a sua vida e os seus memoráveis sucessos que foram galardoados com as mais altas distinções e insígnias no país e no estrangeiro.

Por isso mais do que falar de Amália, importa não esquecer as suas canções levando os jovens de hoje a ouvi-las com a atenção e o respeito que nos merece esta Artista com um talento fora do vulgar. Mencionemos apenas aquelas que foram os seus maiores êxitos - Ai Mouraria, Povo Que Lavas no Rio, Que Estranha Forma de Vide e Gaivota.
Ouvir Amália é também ouvir alguns dos melhores músicos que a acompanharam e os poemas mais lindos que se escreveram para o nosso povo de ontem, de hoje e de sempre!
CV - 01.07.2011

http://youtu.be/uFgctURyGp4