FOI PRECISO AO HOMEM MUITO TEMPO PARA SE ELEVAR ACIMA DA NATUREZA!

TODA A ARTE É CONDICIONADA PELA SUA ÉPOCA... De Ernst Fischer
















sábado, 13 de agosto de 2011

NO CLUB DOS 27

NADA ESTÁ PROVADO!

MAS A AMY NÃO RESISTIU…
Nada está provado em relação às causas da morte de Amy Winehouse! Por enquanto o que se possa afirmar poderá não passar de pura especulação. O que todos já sabemos é como foi parte da sua vida que os “média” compuseram desde que se tornou famosa.
Em relação ao seu talento e à sua vertiginosa carreira, está provado que começou desde miúda a querer ser o que realmente foi: Uma Estrela de primeira grandeza!
Os Familiares terão ajudado Amy desde muito nova, a conseguir uma formação musical em Escolas e Orquestras Juvenis e aos 16 anos já se fazia notar como vocalista do grupo Bolsha Banda.
As suas influências musicais são bastante diversificadas e incluem vozes como as de Sara Vaughan e Ella Fitzgerald no Jaz e de Madona e Michael Jackson na Pop. O seu primeiro álbum “Frank” tem uma batida claramente jazística e foi sem dúvida importante para o início da sua brilhante carreira.
Ao êxito do seu primeiro álbum, seguem-se alguns prémios e espectáculos com grande sucesso que levaram as Editoras a disputar a primazia das suas actuações. Amy muda de estilo, abandona o Jaz e volta-se decididamente para a música Pop, mudando radicalmente o seu estilo de actuar e o seu repertório que se reflecte de forma espectacular no seu segundo álbum “Back To Black”.
Está também provado que a sua vida emocional está recheada de desenfreadas paixões nem sempre correspondidas e por vezes mesmo desencontradas. A sua inclinação para as drogas e para a bebida, tornaram-se numa dependência difícil de controlar.
Quanto mais se aproximava do apogeu da sua carreira, mais infernal se tornava o seu viver, com tentativas rustradas de recuperação em clínicas especializadas. Logo após ter vencido o prémio Prit “Melhor Artista” com a canção Rehab, foi detida na Noruega pela posse ilegal de marijuana.
É neste ponto que me leva a interrogar sobre as causas que terão levado Amy a deixar-se arrastar de forma tão degradante para o submundo do álcool e da droga, impedindo-a de cumprir contractos fabulosos e de interromper espectáculos por completa incapacidade física e mental.
As suas qualidades vocais e as suas interpretações foram apreciadas em todo o mundo, a sua ascensão vertiginosa foi aceite e compreendida como resultante do seu real talento e originalidade. Conquistou por mérito próprio um dos lugares cimeiros do estrelato musical e a sua personalidade vincada deve ter ajudado a impor-se no meio dos seus iguais.
No entanto, algo conseguiu vergar esta extraordinária vedeta, ou se quisermos ser mais exactos na aproximação da realidade, várias terão sido as causas que levaram Amy para o tristemente célebre Clube dos 27.
Há dias reli uma crónica de alguém que se referia às semelhanças que a vida atormentada e turbulenta de Amy teve com alguns dos famosos artistas falecidos de forma muito semelhante, entre elas a de Judy Garland, a menina prodígio, que sofreu às mãos de Empresários e Produtores gananciosos, as mais aviltantes e desumanas condições de trabalho.
No Clube dos 27 há histórias diversas, mas também existem factos que demonstram que alguns dos suicídios foram provocados pela pressão monstruosa que os “homens dos negócios” infligiram violentamente na vida dos artistas que caíram nas suas armadilhas mortais.
Nada está provado! Mas a Amy não resistiu…
Olhão, Agosto de 2011
Martins Raposo
http://www.youtube.com/watch?v=w1evzhSast8

Sem comentários:

Enviar um comentário