FOI PRECISO AO HOMEM MUITO TEMPO PARA SE ELEVAR ACIMA DA NATUREZA!

TODA A ARTE É CONDICIONADA PELA SUA ÉPOCA... De Ernst Fischer
















terça-feira, 31 de julho de 2012

                                                   RUI VELOSO
                                UM GRANDE MÚSICO
Rui Veloso nasceu em Lisboa no dia 30 de Julho de 1957, mas logo aos três meses a sua família mudou-se para o Porto que o músico adoptou como sendo a sua terra. Sempre apoiado pela sua família, começou muito jovem a tocar, primeiro harmónica e logo a seguir a guitarra eléctrica, tendo constituído com outros jovens o grupo, “Magara Blues Band”. Nesta altura as suas maiores influências musicais provinham do famoso B.B. King com o qual se identificavam as suas composições de blues.
Outro famoso que Rui seguiu muito de perto, foi o célebre guitarrista Eric Clapton, tendo dado origem a que Rui Veloso fizesse algumas das composições com o ritmo frenético do rock´n´roll, no entanto a sua abordagem neste estilo, teve o apoio de Carlos Tê que como letrista de grande valor, contribuiu para que pela primeira vez se cantasse com grande êxito o rock em português.
                                      
Chico Fininho, Sei de Uma Camponesa e Rapariguinha do Shopping, foram duas das canções, do Álbum “Ar de Rock”, que alcançaram enorme sucesso no nosso país. Estava lançada a sua carreira, mas Rui Veloso não ficou amarrado apenas a um estilo, muito embora o “ritmo do blues”, tenha acompanhado até hoje as suas composições musicais.
Nos anos 80, editou o Álbum “Guardador de Rebanhos” com a colaboração do grande compositor, António Pinho Vargas, tendo ainda lançado o Álbum “Fora de Moda”. Nestes Álbuns nota-se um aumento significativo na qualidade das suas interpretações.
A amizade com Carlos Tê, tem-se mantido em todos estes anos, até à actualidade e esta dupla de músico e letrista têm dado os melhores frutos para a carreira de ambos. Porto Covo e Porto Sentido marcam definitivamente o seu estilo pessoal, dentro dos blues, mas mais lento e com música e letra muito acessível mas sempre com grande qualidade.
                                     
Os anos 80 são os tempos dos grandes concertos e das digressões por todo o país que confirmam o seu talento e lhe dão os melhores prémios e sucessos da sua carreira.
No início da década seguinte com a edição do duplo álbum “Mingos& Samurais” Rui Veloso vou o seu trabalho premiado com o Disco de Platina, tendo as vendas ultrapassado as 100.000 unidades.
B.B. King veio a Portugal dar um concerto no Coliseu do Porto e outro no Casino do Estoril em Lisboa, convidando o Rui a acompanhá-lo nesses concertos. Mais tarde em 1996 o famoso guitarrista de blues veio ao Coliseu dos Recreios em Lisboa, repetindo-se a colaboração com o nosso músico. Tive a felicidade de assistir a este memorável espectáculo com a ajuda de um amigo, o Carlos Marques, que conseguiu ultrapassar as dificuldades em arranjar bilhetes. Foi fantástico!
Rui Veloso participou na primeira parte do concerto que Paul Simon deu no estádio José de Alvalade, na presença de mais de 50.000 espectadores.
Em 1991, lançou o álbum “Auto da Pimenta” e em 1995 o “Lado Lunar” que alcançaram um enorme êxito a juntar a tantos outros que tem alcançado ao longo da sua carreira. Também estes trabalhos tiveram a participação de Carlos Tê que tem sido um amigo e colaborador inestimável.
Rui Veloso esteve envolvido em projectos musicais com outros músicos. Entre muitos outros o destaque para a sua participação no grupo “Rio Grande”, nos quais estiveram presentes, Vitorino, Jorge Palma, o Tim e o João Gil.
São numerosos os prémios alcançados com o seu trabalho. Para além do já mencionado Disco de Platina, registe-se ainda, uma Medalha de Mérito da Cidade do Porto e o Globo de Ouro com que foi premiado em 1999.
Estes são sucintamente alguns dados sobre a vida artística de Rui Veloso, compositor e intérprete de grande mérito. Ele foi um dos protagonistas da música rock e dos blues em português, o que na verdade não tem sido possível de prosseguir e tão pouco de igualar com o talento e capacidade artística de Rui Veloso.
Muito ainda temos a esperar de Rui Veloso mas é justo salientar desde já o valor insuperável da sua obra. Parabéns e felicidades!
CV-30.07.2012
Martins Raposo

Sem comentários:

Enviar um comentário