FOI PRECISO AO HOMEM MUITO TEMPO PARA SE ELEVAR ACIMA DA NATUREZA!

TODA A ARTE É CONDICIONADA PELA SUA ÉPOCA... De Ernst Fischer
















terça-feira, 23 de outubro de 2012

                                           HERMÍNIA SILVA
                     O GÉNIO E O TALENTO EM ESTADO PURO!
Hermínia Silva, nasceu a 23 de Outubro de 1913, na cidade de Lisboa. Começou muito jovem a cantar nos velhos retiros do fado e logo se fez notar com a sua voz alegre e bem timbrada. Em poucos anos confirmou o seu talento de artista e cantadeira, tendo sido uma das primeiras vozes fadistas a entrar nos palcos da Revista, aumentando a sua popularidade junto de um vasto público que adorava o seu estilo.

  Não tardou que o cinema se interessasse pela jovem azougada e divertida que mostrava uma outra forma de interpretar o fado, com temas variados que podiam ser de raiz popular, satíricos e mordazes ou então românticos, amorosos e cheios de saudade.
No Teatro de Revista e no Cinema o seu nome brilhou com o fulgor de uma verdadeira artista de corpo inteiro, alcançando momentos de grande sucesso. Os espectáculos onde entrava eram êxitos garantidos, pelo saber encantar com profissionalismo e a escolha de um repertório diversificado.
Hermínia foi das primeiras fadistas a procurar a colaboração de maestros consagrados  para compor a suas canções, mesmo quando estes trabalhavam em áreas e estilos diferentes. Foi o caso de Raul Ferrão e de Jaime Mendes.
Apesar de ter alcançado por mérito o estatuto de uma verdadeira vedeta do espectáculo, Hermínia voltava sempre ao seu "Retiro", o Solar da Hermínia, que a  artista tinha criado e no qual cantou até quase ao fim dos seus dias.
Não é demais de referir o facto da Artista ter o talento de adaptar a sua voz ao tom e ao ritmo de cada canção que se poderia apresentar alegre e folgazão no "Fado Mal Falado", Vamos Dar de Beber à Alegria",  "A Desfolhada" e a "Tendinha", como expressar sentimento e emoção em, "Lugar Vazio",  "Maria Sozinha", Fado do Retiro" e "Rosa Enjeitada". Tudo lhe ficava bem, "benza a deus"!

O país soube (o que tem sido raro), reconhecer ainda em vida da Artista, o seu talento, distinguindo-a com valiosos prémios e condecorações, confirmando com toda a justiça o seu lugar entre as melhores fadistas de todos os tempos.
Hermínia era uma artista genuinamente popular, sem ares de vedeta que se impunha naturalmente pelo seu encanto e profissionalismo exemplar. Tinha um enorme respeito pelos músicos e compositores com quem trabalhava e pelos seus colegas, ajudando os mais novos com o seu saber e experiência.  Sabia ser acarinhada pelo povo que via nela uma Artista muito próxima dos seus problemas e dificuldades.
Soube viver a vida, cantando sempre até ao fim dos seus dias.
CV- 23.10.2012
Martins Raposo
http://youtu.be/h6_OH9gSxzM

Sem comentários:

Enviar um comentário