FOI PRECISO AO HOMEM MUITO TEMPO PARA SE ELEVAR ACIMA DA NATUREZA!

TODA A ARTE É CONDICIONADA PELA SUA ÉPOCA... De Ernst Fischer
















quarta-feira, 17 de outubro de 2012

                                                      RITA HAYWORTH
                                      UMA ESTRELA DE PRIMEIRA GRANDEZA!
                                      
Rita Hayworth faz parte de uma galeria de  estrelas que fui colocando no meu álbum de memórias, quase todas se evidenciaram pelo desempenho de personagens que de uma maneira ou de outra marcaram uma época e outras ainda ganharam o sublime estatuto da imortalidade. Rita ascendeu por mérito próprio a este mais alto grau  de reconhecimento.
Rita Hayworth que nasceu em Nova Iorque a 17 de Outubro de 1918, com o nome de Margarita Cansione, era filha de artistas ligadas às danças e ao bailado flamengo. Foi com o seu tio Angel Cansino que teve as primeiras aulas de bailado no Carnegie Hall e foi como bailarino que entrou nos seus primeiros filmes.
A actriz não teve uma vida fácil nos seus primeiros anos em Hollywood e só em 1941, quando foi convidada como segunda figura no Filme, "Uma Loira com Açúcar"  de Raul Walsh que se tornou definitivamente uma estrela de cinema, cobiçada pelos melhores realizadores daquela época.


Em "Sangue e Areia", Rita Hayworth conquista definitivamente o seu estatuto de "Símbolo Sexual", o Filme foi um grande sucesso de bilheteira.
A primeira vez que me encontrei com a Rita, foi  numa sala de cinema, onde a sua fulgurante figura enchia por completo a tela, com a sua beleza estonteante e avassaladora. Gilda assim  se chamava o Filme de Charles Vidor, um drama passional, mil vezes repetido que a actriz transformou num dos seus maiores êxitos.


O tema do filme é ultrapassado pela fantástica interpretação de Rita que contracena com o Glen Ford  que sendo um grande actor, submerge perante uma actriz que está no auge da sua beleza e se afirma com o seu talento fogoso e sensual que incendiava os corações milhares de fãs em todo o mundo.
A vida pessoal de Rita Hayworth foi pontuada por momentos de grande euforia, seguida de problemas sentimentais. Esteve casada cinco vezes e de todas as vezes se divorciou em litigio com os consortes. Um deles foi o príncipe Ally Khan que fez com que a actriz fosse a primeira princesa do cinema, outro não menos famoso, foi  Orson Welles, um grande actor e realizador. Rita na altura já era famosa com o seu nome associado aos grandes êxitos do cinema. O grande Mestre  obrigou -a a entrar no seu filme "A Dama de Shangai" que acabou por ser um desastre de bilheteira e ainda hoje nos fica a ideia de que terá sido este o filme que marca  o princípio do declínio da grande estrela.

Rita Hayworth costumava desabafar sobre os insucessos com os homens, dizendo - A maioria dos homens se apaixona por Gilda, mas acorda comigo". A sua carreira continuou com muito trabalho, entrando em bastantes filmes, mas os grandes êxitos não se repetiram. Terminou a sua carreira com o filme "A Ira Divina" ao lado de Robert Mitchum no ano de 1972.


A belíssima actriz faleceu em 14 de Maio de 1987, vítima da doença de Alzheimer, tardiamente diagnosticada e que lhe provocou muitos anos de sofrimento. Para a eternidade ficam os seus filmes e um muito especial, "GILDA", que será sempre um dos melhores filmes de sempre, graças a Rita Hayworth.
CV - 17.10.12
Martins Rapospo
http://youtu.be/4rWpND28Jos

Sem comentários:

Enviar um comentário